Covid-19, concessões de rodovias e candidatura à presidência: confira entrevista exclusiva com o governador Eduardo Leite

"Se o PSDB entender que o meu nome possa representar o partido, estarei pronto para ser candidato à presidência da República", afirma o tucano


0

No dia em que a Rádio Independente inaugura o seu moderno Estúdio Lauro Mathias Müller, na sede do grupo em Lajeado, Eduardo Leite (PSDB) concedeu a sua primeira entrevista exclusiva à emissora como governador do RS nesta segunda-feira (28).

Em conversa realizada por vídeo, transmitida ao vivo pelas ondas do rádio e pelas redes sociais da rádio, o tucano falou sofre formas de incentivar a campanha de vacinação contra a Covid-19, destacou a possibilidade de realização de eventos testes com o avanço da imunização no estado, ponderou a necessidade de equilibrar o modelo de concessão de rodovias à iniciativa privada, demonstrou boas perspectivas de um acordo com a BRF para remodelar o trevo em frente à empresa, na ERS-130 em Lajeado, e também comentou a possibilidade de ser candidato à presidência da República pelo seu partido, o PSDB.

Premiação pela vacinação

Leite rebateu críticas de prefeitos e associações de municípios contra a ideia do Governo do RS de conceder premiações especiais para incentivar a aplicação de doses contra a Covid-19 nos municípios gaúchos. Leite diz que o combate à pandemia pelo Governo do Estado é realizado com total transparência, com publicação de lista de doses distribuídas e aplicadas localmente.

“A gente quer que se acelere esse processo, e por isso que a gente oferece uma possibilidade de premiação, que é revertida para a própria população, uma premiação que será investida em saúde, em equipamentos, na reforma de unidades de saúde e atendimentos para a população”, explica.

O governador destacou o trabalho logístico para distribuir as doses rapidamente aos municípios, quando elas chegam do Ministério da Saúde. Leite lançou um cronograma que preve a vacinação com a primeira dose de todos os gaúchos elegíveis para receberem os imunizantes contra a Covid-19 até 20 de setembro. “Se houver disponibilidade de doses, tudo indica que poderemos antecipar o cronograma”, ressalta.

Eventos com presença de público

“Todo mundo deseja uma volta ao normal o quanto antes, ou o mais próximo disso, para que todos os setores da economia possam rodar”, analisa o governador. Leite lembra que o RS foi pioneiro no Brasil ao permitir o retorno dos eventos corporativos durante a pandemia.

Com o avanço da vacinação e possibilidade de realização de eventos testes, com todos os cuidados e controles, o político diz que será possível projetar o retorno do setor de eventos, “que a gente sabe que é importante para colocar comida na mesa de muita gente”.

Concessões de rodovias

O Governo do RS lançou a discussão sobre a concessão de mais de mil quilômetros de rodovias à iniciativa privada. Para Eduardo Leite, “as concessões são uma forma de unir o legítimo interesse privado de retorno com o interesse público de ter estradas em boas condições, com serviços e duplicada, se possível”.

O chefe do Executivo gaúcho pondera que o modelo de concessão tem que contemplar uma remuneração adequada para a empresa viabilizar o investimento e realizar as obras. “Para poder antecipar muitas obras, possivelmente teremos que colocar um preço maior dos pedágios para poder viabilizar essas obras”, entende.

Na semana passada, a região do Vale do Taquari apresentou pedidos de esclarecimentos e detalhamento do projeto. Leite diz que que a equipe técnica do estado está analisando as solicitações. O tucano espera que, a partir do diálogo, que se encontre o ponto de equilibro com as obras que a população deseja.

Apesar de ter regularizado as contas, com o pagamento do funcionalismo público do Executivo em dia, o governador afirma que “o Estado não tem condições de fazer as obras por sua conta”. “O Estado ainda tem muita dificuldade de recursos para promover investimentos que são essenciais para crescimento do RS”, reconhece. Nesse ponto entra a iniciativa privada, ressalta.

Viaduto e vias laterais na BRF

Eduardo Leite tem uma reunião com o prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo, na tarde desta segunda-feira (28). Na pauta, a discussão de formas de viabilizar a construção de um viaduto e abertura de vias laterais na região do trevo da BRF, na ERS-130 em Lajeado. Conforme o governador, a ideia é dar maior segurança e conforto para quem circula na região.

O tucano cita a possibilidade de renúncia de receitas para que a empresa aplique recursos do ICMS direto para a realização da obra. Leite lembra que, na semana passada, o Governo do RS já chegou a um acordo com a Tramontina em Carlos Barbosa e a Vinícola Aurora, de Bento Gonçalves. “Confio que a gente consiga chegar a um bom termo para conseguirmos fazer o investimento nessa interseção da rodovia para reduzir os transtornos para a população.”

Candidatura presidencial

Leite é pré-candidato à presidência da República pelo PSDB. O gaúcho disputa a indicação do partido com o governador de São Paulo, João Doria, com o senador Tasso Jereissati, do Ceará, e com o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio. O tucano despista suas pretensões, e diz que seu nome foi um pedido de deputados federais que vieram ao Piratini pedir para ele se lançar nacionalmente.

“O Rio Grande do Sul não é uma ilha. Estamos inseridos no contexto nacional. Sabemos os problemas que o Brasil sofre, e os problemas que se abatem sobre o nosso país têm direta relação com o nosso estado. Participar desse processo, construir caminhos para o futuro e também é uma obrigação minha como agente político participar. Claro, sem afetar a minha prioridade, que é governar o Rio Grande do Sul”, avalia.

Após essa fala, o governador arremata: “Se o PSDB entender que o meu nome possa representar o partido, estarei pronto para ser candidato à presidência da República.”

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui