Covid acabou, a polêmica agora é o absorvente

Pelo que li, a lei aprovada e vetada pelo presidente não tem clareza sobre a logística de distribuição


2
Foto: Divulgação

Como a grande maioria lê somente manchete ou a parte inicial do texto, deixo claro aqui que o vírus ainda circula e pode matar, então todo cuidado ainda é necessário. E sim, entendo que poderíamos ter uma política pública para garantir às meninas e mulheres de baixa renda acesso gratuito de absorventes, mas de uma forma clara e organizada.

Pelo que li, a lei aprovada e vetada pelo presidente não tem clareza sobre a logística de distribuição. A medida certamente teria mais efeito se assumida pelos municípios que, efetivamente, conhecem e sabem da realidade local.

Jair Bolsonaro está sendo criticado – fato muito comum – pela atitude. Em uma rápida análise, parece que o projeto foi capenga, sem apresentar a origem do recurso e indicar a forma de entrega. Enquanto o povo não se conscientizar de que precisa eleger deputados e senadores com conhecimento jurídico – ou assessorias jurídicas qualificadas pra prestar esse serviço -, as leis vão continuar as mesmas e a gente segue perdendo tempo em discussão que não surte resultado nenhum.

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

Existe milhões de argumentos válidos pra criticar Bolsonaro, mas, nesse caso, o Senado sugeriu mudanças que não foram acatadas pela relatora da proposta – para evitar que o projeto voltasse pra Câmara dos Deputados. Então, a polêmica se criou mais no campo ideológico do que da legalidade da matéria.

Para pensar

Somos o país que “não tem” R$ 85 milhões pra distribuir absorventes para garotas pobres. Mas temos R$ 40 milhões para auxílio paletó de deputado. O Brasil e suas prioridades absolutamente erradas.

Agro é forte

Como todos os setores, a agricultura sofreu na pandemia e com a crise hídrica, mas dá mostras de recuperação. A safra de grãos deve ser 288,61 milhões toneladas, alta de 14,2% ante 2020.

Ele vem

Com anúncio programado para novembro, a candidatura do ex-ministro Sergio Moro a presidente deve ser confirmada pelo Podemos.

Foto: José Cruz / Agência Brasil

Alta

A notícia nem é mais tão comum. Gasolina e gás de cozinha estão mais caros.

2 Comentários

  1. Fabiano conte como o projeto pra comprar cerveja e picanha para os militares é aprovado com extrema facilidade e para comprar absorvente para mulheres e meninas pobres não???

  2. Conte, acorda!
    A origem de dinheiro do projeto é o SUS.
    A única coisa que está clara é o fato do governo ser misógino e machista.

    Pobreza menstrual é uma realidade enfrentada por mulheres em situação de rua, jovens sem renda e presidiárias. O lugar de fala é delas. Tu pode ter tua opinião enquanto jornalista, mas não te esquece que tu és do gênero masculino.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui