CPI que apura supostas irregularidades na prefeitura de Porto Alegre quer ampliar atividades

CPI confirma as denúncias de que a viagem do prefeito Nelson Marchezan Júnior e de comitiva para a França, em julho de 2017, foi paga pela empresa responsável pelo aplicativo Capester.


0
Foto: Elson Sempé Pedroso/CMPA / CP

A documentação reunida pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga as supostas irregularidades cometidas na gestão de Porto Alegre confirma as denúncias de que a viagem do prefeito Nelson Marchezan Júnior e de comitiva para a França, em julho de 2017, tenha sido paga pela empresa responsável pelo aplicativo Capester, que era utilizado pela EPTC para informar infrações de trânsito, caracterizando improbidade administrativa.

É o que afirma o presidente da CPI, Roberto Robaina (PSol). A investigação, que ainda envolve falta de transparência no Banco de Talentos do Executivo, terminaria hoje, mas deve ter novo prazo estipulado após a retomada dos trabalhos da Câmara de Vereadores, suspensos por conta da pandemia de coronavírus.

Fonte: Correio do Povo

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui