“Crianças não se importam se o Papai Noel é branco ou negro”, diz estrelense que já morou nas ruas

Milton Roque da Silva (50) exerce o trabalho voluntário há 20 anos como promessa por ter conquistado uma condição de vida melhor.


0
Milton Roque da Silva atua como Papai Noel há 20 anos (Foto: Gabriela Hautrive)

Após ter morado nas ruas e passado por inúmeras dificuldades, chegando a não ter nem do que se alimentar, o estrelense Milton Roque da Silva, de 50 anos, prometeu que se um dia conquistasse uma situação de vida melhor, retribuiria toda a ajuda que recebeu quando estava em situação de rua. Devido a isso, Silva atua como Papai Noel e há 20 anos entrega presentes para as crianças de forma voluntária.


ouça a reportagem

 


 

“Fiz um concurso na Prefeitura de Estrela e consegui passar, atuando como motorista, e então prometi que eu ajudaria as pessoas mais carentes”. O Papai Noel relata que por ter a pele negra e ser magro, algumas pessoas possuem preconceito, mas para as crianças isso não é um problema. “No começo foi bem difícil, um senhor um dia me disse que eu não tinha que querer ser Papai Noel porque sou negro, só que as crianças, elas não se importam se é branco ou negro, o que importa é o espírito de Natal”, destaca.

Papai Noel estregará presentes durante todo o dia neste 25 de dezembro (Foto: Gabriela Hautrive)

O trabalho de Silva acontece devido a ajuda de muitos voluntários. “Como eu já atuo há 20 anos, as pessoas já me conhecem e esperam com balas e presentes para doar.” Para este dia 25 de dezembro, Silva ainda tem muitas casas para visitar. “Vou entregar os presentes durante o dia, meu amigo Jonas Cruz vem com sua caminhoneta e vai me ajudar, vamos ir passando nos locais”, conta. O pagamento disso tudo é rapidamente respondido pelo Papai Noel voluntário: “Minha remuneração é só o carinho das crianças”, finaliza.

Veja a mensagem do Papai Noel

 

Texto e vídeo: Gabriela Hautrive

reportagem@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui