Da delegacia para a sala de aula: Ministério Público de Lajeado abre portas para o Bike Solidária

Parte das bicicletas roubadas e furtadas apreendidas pela Polícia Civil serão reformadas por estudantes em curso do Senai


0
Turma iniciou as aulas nesta segunda-feira (13) com 16 alunos de duas escolas de bairros carentes de Lajeado (Foto: Caroline Silva)

O dia 13 de setembro de 2021 ficou marcado como uma nova porta de aprendizado para 16 alunos de duas escolas de bairros carentes de Lajeado: Escola Estadual de Ensino Médio Santo Antônio-CIEP, no Bairro Santo Antônio e Escola Estadual de Ensino Fundamental São João Bosco, no Bairro Conservas.

Oito estudantes de cada uma das instituições foram selecionados para participar do projeto Bike Solidária. Dessa forma, boa parte das bicicletas roubadas e furtadas apreendidas pela Polícia Civil terão um destino diferente: o da sala de aula. A iniciativa é do Ministério Público da Comarca de Lajeado, através das Promotorias de Justiça Criminal e Especializada, Polícia Civil, Associação Lajeadense Pró-Segurança Pública (Alsepro), e Serviço Nacional de Aprendizado Industrial (Senai).


OUÇA A REPORTAGEM 


O projeto é pioneiro no Rio Grande do Sul. O curso de Mecânico de Bicicletas, do Senai, terá carga horária de quase 70 horas, e abordará questões como empreendedorismo, higiene e segurança e conceitos ligados à mecânica. As bikes apreendidas vão ser reformadas pelos adolescentes e entregues nas suas respectivas escolas.

Promotor de Justiça Sérgio Diefenbach (Foto: Caroline Silva)

Um marco importante na carreira do promotor de Justiça Sérgio Diefenbach, especialista em Direito da Infância e Juventude. Para ele, este curso é o ponto inicial de um futuro melhor, além de fazer a diferença não só na vida dos alunos, mas de suas famílias. “Temos um país ainda muito desigual, com muitas pessoas que não encontram portas abertas, e um curso como este é abrir possibilidades para 16 famílias, porque eles começam a partir daqui encontrar outros horizontes e outras pessoas, que vão permitir que eles sonhem ou coloquem em prática”, destaca.

Há cerca de pouco mais de um ano atrás o promotor visitou as estruturas do Senai, a fim de promover um curso com este mesmo intuito, mas por falta de financiamento, a ideia não saiu do papel. Agora com a união de esforços e entidades, além de empresas do ramo do ciclismo como parceiras, o projeto tornou-se realidade.

Diefenbach fala que além do aprendizado de manutenção das bicicletas, o maior ensinamento será o que levará para a vida toda. “Os detalhes técnicos do aprendizado são importantes, mas o que vem no entorno dele é o mais importante, a base do respeito, da organização, do planejamento, do empreendedorismo, e das necessidades do mundo do dia a dia”, enfatiza.

“Nós apostamos neles”

Diretora do CIEP, no Bairro Santo Antônio, Nadir Rosane Hartmann (Foto: Caroline Silva)

Além dos alunos, quem também agradece é a diretora do CIEP, no Bairro Santo Antônio, Nadir Rosane Hartmann. A professora diz que estão abertos a tudo que vem a agregar na vida de seus estudantes. “Posso dizer que me sinto muito feliz e orgulhosa pelos alunos por terem aceito essa oportunidade, porque não obrigamos ninguém, nós apostamos neles, e estamos prontos a tudo que puder ajudá-los”, reforça.

O futuro já começou

O futuro já é pensado para os jovens adolescentes de 12 a 16 anos inscritos no projeto. Antenados e falantes, boa parte deles estão empolgados com o começo do curso. A maioria já tem um gosto por bicicletas, como é o caso de Douglas Tiago da Silva Matte (16), que já pensa em trabalhar. “Quero aprender porque eu gosto muito de mexer em bicicleta e também para meu futuro, se eu precisar trabalhar em algum lugar eu já vou saber”, comenta.

Relato não muito diferente do seu colega de escola Jederson Rodrigues dos Santos (16). O garoto conta que já se desafiava na área de manutenção de bikes em casa. “Minha expectativa está muito grande. Eu já mexia com bicicleta em casa, e agora é só esperar e aprender cada vez mais”, comemora.

Já Erick Ferreira (16), lembrou algo mencionado pelo promotor Diefenbach, a abertura de caminhos por meio do curso. “É algo que eu gosto muito e é um curso que vai me ensinar várias coisas e me abrir muitas portas”, observa.

Um novo destino

Delegado de Polícia de Lajeado, Marcio De Abreu Moreno (Foto: Caroline Silva)

O delegado de Polícia de Lajeado, Marcio De Abreu Moreno, afirmou que são 80 bicicletas no local apreendidas em diversas ocorrências como suspeitas de roubo, receptação, furto e prática criminosa – atividades de narcotráfico. “As que vão participar do projeto são bicicletas que foram apreendidas em atividades ilícitas e já há decisão judicial e condenação e a própria parte acusada em nenhum momento comprovou a origem lícita ou mostrou interesse em reavê-la”, explica.

Texto: Caroline Silva
jornalismo@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui