Dália Alimentos em Arroio do Meio adota padrões rigorosos de uso e desinfecção de máscaras

Procedimento ocorre em todas as plantas da cooperativa e uso da máscara é obrigatório a todos os funcionários.


0
Foto: Carina Marques / Divulgação

Da mesma forma que foi adotado na indústria de suínos, na área administrativa, nas agropecuárias e nos supermercados da Cooperativa Dália Alimentos, em Encantado, o uso de máscaras também foi instituído obrigatoriamente nas demais unidades. Na totalidade, 20 mil máscaras em tecido foram confeccionadas e todos aqueles que acessarem a empresa para cumprir a sua jornada de trabalho, em qualquer segmento ou setor, é obrigatório a aferição da temperatura com os profissionais responsáveis pelo sistema de termometria, a utilização de máscara, recebida logo após a chegada à empresa e utilização de álcool em gel durante todo o período de trabalho.

O mesmo padrão foi adotado em Arroio do Meio, onde estão localizadas as unidades de lácteos e o frigorífico de aves. Em Encantado o processo de lavagem e desinfecção das máscaras é realizado pela Associação dos Amigos e Pais dos Excepcionais (Apae). Já em Arroio do Meio, na unidade avícola, onde trabalham 320 empregados o mesmo processo é realizado, porém, pela Lavanderia Lavclean, de Garibaldi.

A supervisora de Auditoria da Qualidade na Divisão Frango de Corte, Cristina Rosana Fritsch, esclarece o padrão adotado pela lavanderia e solicita a colaboração de todos os empregados para a obrigatoriedade do uso do Equipamento de Proteção Individual (EPI), que durante essa pandemia tornou-se obrigatória. “Importante conscientizar que cada empregado devolva a máscara ao final de sua jornada de trabalho, junto à guarita, para que a mesma seja devidamente recolhida, higienizada e desinfetada.”

Conforme protocolo de higienização e desinfecção da Lavanderia Lavclean é utilizado alvejante e desinfetante e realizada as seguintes etapas: 1) em uma máquina de lavar exclusiva com capacidade para 32 quilos são utilizados detergentes, alvejantes e neutralizantes, 2) bater por dois minutos, 3) soltar a água e repetir a operação até que saia água limpa pelo dreno, isto ocorre com duas ou três operações, sendo que a última operação aciona o dosador para a liberação do acidulante, 4) bater por três minutos, 5) abrir o registro e abastecer com água até o nível baixo, 6) acionar o dosador para a liberação do detergente, 7) dosagem do detergente, o equivalente a 2,5 ml por quilo de roupa seca, 8) dosagem do alvejante, o equivalente a 1,7 ml por quilo de roupa seca, 9) temperatura de lavagem a 40ºC, 10) dosagem do neutralizante, o equivalente a 3 ml por quilo de roupa seca, 11) bater por 20 minutos, 12) centrifugar por dez minutos, 13) secar a uma temperatura de 75ºC e 14) dobrar e ensacar.

Indústrias de Palmas e Aimoré

Nas indústrias de Lácteos, uma localizada em Palmas e com 192 funcionários e outra no Bairro Aimoré e com 85 empregados, ambas em Arroio do Meio, as mesmas medidas são adotadas. Conforme a supervisora da Auditoria da Qualidade, Elisa Scheid Tesser, o processo de higienização e desinfecção das máscaras na unidade de Palmas é realizado pela Lavanderia Hibisco, de Arroio do Meio. “As máscaras são trocadas diariamente e, a cada turno de trabalho, existe um local apropriado para o descarte das usadas, sendo que cada funcionário dispõe da sua sem o contato de outras pessoas com as máscaras já usadas.”

A lavanderia contratada utiliza o seguinte protocolo para higienização e desinfecção das máscaras em tecido: 1) umectação por cinco minutos com água fria, 2) enxague por três minutos, 3) pré-lavagem por cinco minutos, 4) enxague por três minutos, 5) lavagem por 15 minutos a 60°C, 6) alvejamento por 15 minutos a 60C°C, 7) enxágue por seis minutos, sendo três de cada vez, 8) neutralização por três minutos, 9) secagem a 20ºC e 10) 30 máscaras seladas por embalagem.

Os resposáveis pelo trabalho contra à Covid-19 nas indústrias, que foram selecionados pela gerência para executar e controlar todas as ações determinadas pelo Grupo de Crise ao Controle ao Coronavírus, são: em Palmas – o conferente do Setor Expedição e líder da CIPA, Fabrício Gobbi; a supervisora, Elisa Scheid Tesser; a auxiliar administrativa, Milena Beneduzi; o funcionário terceirizado contratado para esta finalidade, Reuel Rossini dos Santos; além dos vigilantes. Já na unidade localizada no Bairro Aimoré é a auxiliar administrativa e líder da CIPA, Daniela Gasparotto, quem coordena os trabalhos. AI/RC

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui