De janeiro a novembro, Rio Grande do Sul registra alta de 23% no número de feminicídios

Dentre os sete casos de novembro, em apenas um a vítima havia providenciado registro de ocorrência contra o agressor


0
Foto: Divulgação

Crime contra a vida que resiste a seguir a tendência dos demais indicadores, o feminicídio teve sete vítimas gaúchas em novembro, uma a mais que no mesmo mês de 2020, uma alta de 16,7%. No acumulado de janeiro a novembro, o índice foi mais acentuado: 23%, com 90 mulheres mortas por questões de gênero, frente a 73 em igual intervalo no ano passado. Dentre os sete casos de novembro, em apenas um a vítima havia providenciado registro de ocorrência contra o agressor.

Ao divulgar os dados, inseridos em relatório oficial publicado nesta segunda-feira (13), a Secretaria da Segurança Pública do Rio Grande do Sul reiterou um alerta: “Esse dado reforça, mais uma vez, a urgência de conscientização social para que a violência doméstica e demais abusos do tipo sejam denunciados às autoridades já nos primeiros sinais, a fim de permitir a adoção de medidas para romper o ciclo de violência antes de um desfecho fatal”.

Nos demais indicadores de violência contra a mulher monitorados pela SSP (ameaças, lesões corporais, estupros e tentativas de feminicídio), o cenário foi de queda, tanto na leitura isolada de novembro quanto no acumulado dos primeiros 11 meses do ano. A maior retração se deu entre as tentativas de assassinato de mulheres por motivação de gênero, com quedas de 32,3% em novembro e de 20,5% na soma desde janeiro, em relação a iguais períodos de 2020.

Fonte: O Sul

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui