De Vilão a Guardião: como as habilidades do líder podem mudar as pessoas e os resultados

No quadro Direto Ao Ponto desta quarta-feira, a participação do diretor da Fundação Napoleon Hill e do MasterMind RS, Gustavo Bozetti.


0
Gustavo Bozzetti (Foto: Divulgação)

Há algum tempo, um gerente de loja de uma rede de supermercados que atendemos faz anos desconfiou que alguns funcionários pudessem estar furtando mercadorias e consumindo dentro da loja. O gerente montou uma estrutura para desvendar o enigma e descobriu que havia uma “quadrilhazinha” efetuando pequenos furtos, comendo chocolates dentro da loja, no depósito, e escondendo as embalagens.

A turma era pequena e havia sido contratada pelo Programa Jovem Aprendiz. No momento em que o gerente descobriu aquela situação, foi muito hábil na resolução. Um dos jovens envolvidos havia sido contratado pelo gerente a pedido de sua mãe. O gerente e a família do jovem moravam próximos uns dos outros e o gerente, para ajudar a família, atendeu a solicitação da mãe, contratando seu filho adolescente. Ao desvendar a ação dos jovens, o gerente chamou o menino, cuja família ele conhecia muito bem, e perguntou se ele sabia da ação.


ouça o comentário 

 


 

O jovem negou as acusações até descobrir que haviam imagens da ação dos meninos. O gerente percebeu que o jovem ficou muito assustado quando o gerente ameaçou relatar o incidente para a sua mãe. O menino pediu desculpas e implorou ao gerente que não comentasse nada com sua mãe, pois era a pessoa que ele mais amava e que jamais gostaria de magoar. Prometeu que não faria mais aquilo.

O gerente decidiu acreditar no jovem pois sabia da sua índole e do seu histórico. Sabia que ele possuía uma boa reputação na escola e na vizinhança. Por este motivo, fez um acordo com o jovem. Disse a ele que não comentaria nada com sua mãe e guardaria aquela informação em sigilo, desde que o jovem passasse a ser o “vigia” do depósito e da loja. A parceria deu tão certo que os furtos na loja terminaram e o jovem passou a ser um guardião da operação de loja que o gerente estava implementando. A loja despontou nos resultados e o mérito, sem dúvidas, foi do gerente que possuía uma grande habilidade em lidar com as pessoas.

Não é minha intensão, aqui, julgar se a ação do gerente foi a ideal, muito menos apontar se ele agiu certo ou errado. Minha intensão é mostrar que os resultados sempre falam a verdade.

Investir em liderança é altamente estratégico, justamente por situações como essa. O gerente do supermercado fez “do limão uma limonada”. Usou suas habilidades de lidar com as pessoas, promovendo grandes resultados na loja que estava sob sua gestão. Ressalto que não é uma ação isolada, mas, sim, um conjunto de ações que produzem esses resultados. Nas várias lojas dessa rede, resultados semelhantes aconteceram e acontecem. Por qual motivo, será?

Foi muito legal desenvolver, através do MasterMind®️, essas habilidades nos demais líderes, levando aquela empresa a resultados extraordinários por meio da construção de uma cultura organizacional forte. O líder desperta o melhor nas pessoas, consequentemente construindo uma empresa melhor. O líder, normalmente, acredita mais nas pessoas do que elas mesmas acreditam em si, gerando resultados satisfatórios para as pessoas e para as organizações. O líder é o grande gerador de resultados. Se a empresa não desenvolve seus líderes, terá que se contentar com resultados médios a vida toda. Pense nisso. Se quiser saber mais sobre como desenvolver a sua liderança, me acompanhe por aqui ou, também, pelas redes sociais. Forte abraço e até a vitória, sempre.

Gustavo Bozetti (@gustavobozetti), diretor da Fundação Napoleon Hill e MasterMind RSi

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui