Delegada aguarda evolução no quadro de saúde para colher depoimento de prefeito de Itapuca

Delegada Alice Jantsch Fernandes fala sobre a possibilidade de tiro acidental no manuseio da arma, ou de autolesão proposital. Disparo foi realizado dentro do gabinete da prefeitura. Marcos Scorsatto foi transferido para hospital de Passo Fundo


0
Titular da DP de Arvorezinha, delegada Alice Jantsch Fernandes é a responsável pelo caso (Foto: Divulgação)

A delegada Alice Jantsch Fernandes, titular da DP de Arvorezinha, é a responsável pela apuração do episódio envolvendo o prefeito de Itapuca. Na última sexta-feira (9), Marcos Scorsatto (DEM) foi vítima de um auto-disparo de arma dentro de seu gabinete, no centro administrativo municipal. O gestor foi transferido para Passo Fundo, onde permanece internado em estado considerado estável, mas que ainda inspira preocupações. Conforme a delegada, a equipe médica ainda avalia a necessidade de intervenção cirúrgica.

O disparo foi realizado com uma pistola calibre 380, e perfurou o pulmão de Scorsatto, de 46 anos. A Polícia Civil já realizou diligências, colheu provas e aguarda laudos técnicos. Os investigadores também ouviram depoimentos de funcionários da prefeitura, além do irmão da vítima, Flávio Scorsatto, que é secretário da Saúde de Itapuca e socorreu o administrador.


ouça a entrevista

 


 

Conforme a delegada, “o essencial é o depoimento da vítima”. “Já foi suficientemente comprovado que ele estava sozinho na sala. E não tem nenhuma imagem de câmera de segurança de dentro do gabinete. Todas as imagens que já foram veiculadas são de fora, e a gente não consegue saber o que efetivamente aconteceu lá dentro”, analisa.

O disparo foi realizado por volta das 15h40, e a porta do gabinete estava trancada. O irmão escutou o barulho e arrombou a porta para adentrar ao ambiente. A arma utilizada no episódio foi apreendida. A pistola é de Marcos Scorsatto, foi comprada e registrada em 2017, e porte, regularizado em 2019. Segundo a delegada do caso, a arma compatível com estojo e projétil encontrado na cena.

Marcos Scorsatto, do DEM, é prefeito de Itapuca e presidente do Consisa-VRT (Foto: Prefeitura de Itapuca / Divulgação)

A investigação trabalha com a hipótese de disparo acidental devido ao manuseio da arma, mas não descarta outras circunstâncias. “Pode, sim, ter ocorrido um disparo no momento da limpeza ou no momento de alimentação da arma, bem como uma tentativa de auto-lesão. Mas, pelo que conversamos até agora, as pessoas não notaram nenhum comportamento diferente, nenhum indício que poderia levar a isso, sintomas de depressão etc. Por isso que é de suma importância o depoimento dele para poder esclarecer”, ressalta Alice Jantsch Fernandes.

A titular da DP de Arvorezinha diz que está aberta revisar suas hipóteses investigativas, caso apareçam novos dados. “No momento, não temos nenhuma linha preponderante. Já descartamos, sim, a presença de um segundo indivíduo na sala. Homicídio está descartado, a não ser que apareça uma prova nova. Sempre estamos de olhos abertos. A gente não se cega a nenhuma possibilidade. Mas, em princípio, partimos da ideia de que ele estava sozinho na sala, e que foi por um ato próprio que ocasionou essa lesão. O que não se sabe ainda é se foi acidental ou auto-infligido , proposital”, comenta.

Saiba mais

Marcos Scorsatto, que também preside do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Vale do Rio Taquari (Consisa-VRT), está em seu terceiro mandato como prefeito de Itapuca. Nas últimas eleições municipais, em 2020, ele venceu a disputa contra o próprio primo, Airton Scorsatto, com diferença de apenas um voto.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui