Deputado defende a redução das mensalidades de escolas e universidades particulares

"Não é justo um aluno da universidade particular ou da escola particular estar pagando mensalidade cheia se ele está em casa", diz Edson Brum.


0
Foto: Divulgação

O deputado Edson Brum defende a redução proporcional das mensalidades de escolas e universidades particulares que não tenham aulas presenciais em função do coronavírus. Para o parlamentar, a redução deve ocorrer mesmo nas instituições que ministram aulas online, à distância, por serem mais baratas.


ouça a entrevista

 


“Não é justo um aluno da universidade particular ou da escola particular estar pagando mensalidade cheia se ele está em casa. Mesmo a faculdade estando ministrando aulas diariamente ao vivo online, isso é EAD e é mais barato. Porque a escola não vai gastar aqueles valores com energia, com luz, não vai gastar com água, com limpeza, com higiene. Não vai abrir com segurança, que gasta no dia a dia com todos os alunos dentro da escola ou faculdade”, argumenta o deputado.

“Na minha opinião, tem que ser dado desconto na mensalidade de quem está nas escolas particulares, porque também o estudante está com dificuldade. Os pais dos estudantes também estão com dificuldade de pagar, porque diminuiu a sua renda”, defende.

“É importante que as escolas tenham essa consciência e reduzem a mensalidade nesses meses, porque também os impostos delas serão postergados para pagarem adiante, até 90 dias para começarem a pagar, com prazo.”

Contas de água

Os clientes de tarifa social ficarão isentos da cobrança de água pela Corsan pelos próximos 90 dias. Ainda foram suspensos os cortes no fornecimento de água da Corsan por não pagamento nos próximos 60 dias. A definição do governador Eduardo Leite, de 23 de março, atende a proposta entregue pelo deputado Edson Brum (MDB).

O parlamentar solicitou a suspensão da cobrança da tarifa social de água e luz, por 90 dias, em todo o Rio Grande do Sul. Somente em relação à água ele foi atendido, neste momento. Para Brum, a isenção da cobrança de água às famílias mais carentes em meio à pandemia de coronavírus é um alento em momento de incertezas econômicas e sociais.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui