Deputado diz que alertou Bolsonaro sobre Covaxin em março

Além do preço e de pedido de pagamento antecipado, havia indícios de que as vacinas estavam próximas do prazo da validade


1
Foto: Câmara dos Deputados / Divulgação

O deputado Luís Miranda (DEM-DF) disse ao R7 Planalto que levou em março ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) indícios de superfaturamento e pedido de pagamento antecipado em contratos do Ministério da Saúde para a compra da vacina indiana Covaxin. “Bolsonaro e eu fomos eleitos com a mesma bandeira, do combate à corrupção, e por isso levei o assunto ao presidente”.

Os indícios de problemas foram detectados pelo irmão do deputado, servidor concursado do Ministério da Saúde em 2011, Ricardo Miranda. Além do preço e de pedido de pagamento antecipado, havia indícios de que as vacinas estavam próximas do prazo da validade o que tornaria a aplicação nos brasileiros quase impossível, e “pressão anormal” para os pagamentos. Luís Miranda disse que levou as informações do irmão ao presidente no dia 20 de março, no Palácio da Alvorada, e que o presidente disse que iria encaminhar o material à Polícia Federal.

Miranda espera desde então um retorno sobre o assunto e disse que não conseguiu mais, depois dessa data, ter uma conversa com Bolsonaro. Cobrou auxiliares e recebeu como resposta que Bolsonaro estava muito atarefado.

1 comentário

  1. Coitado desse deputado, levou a informação ao Bozo achando que ele não sabia,Bozo tá envolvido até o pescoço com esse caso de corrupção.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui