Derrotado por Schneider, Comandante César aceita convite para ser secretário em Estrela: “Maturidade política”

Como titular da pasta de Administração e Segurança, César buscará valorizar o servidor, otimizar os trabalhos e reforçar a integração com órgãos de segurança, MP e Judiciário


0
Foto: Tiago Silva

O Comandante César, coronel aposentado da Brigada Militar, iniciou nesta quarta-feira (18) na função de secretário de Administração e Segurança de Estrela. A posse oficial no cargo está marcada para a sexta-feira (20), às 10h, e devem acompanhar a cerimônia na prefeitura os comandantes-gerais da Brigada Militar e do Corpo de Bombeiros do RS.

Em 2020, César concorreu a prefeito pelo MDB, a convite de Rafael Mallmann (MDB), então prefeito. Ele acabou ficando em terceiro lugar em sua primeira eleição. Foi eleito Elmar Schneider (PTB), que fora secretário de Saúde na gestão Mallmann.

“Não esperava o convite”, reconhece o novo secretário, que se diz honrado. “O prefeito Schneider entendeu que eu posso contribuir nessa área. A área da segurança é uma área que eu trabalhei a vida toda. A própria área da administração, nós, como gestores na Brigada Militar, aprendemos a trabalhar na gestão de pessoal e material. Então, eu me senti muito honrado com o convite”, reforça.


ouça a entrevista

 


O comandante diz que o chamado do prefeito mostra maturidade política. Ele explica que jamais teve filiação partidária antes das eleições de 2020. “Nunca tratei adversário como inimigo porque acho que temos que mudar essa cultura no Brasil. Nunca o extremo é saudável”, entende.

Na nova secretaria, César diz que buscará valorizar o servidor, melhorar o atendimento à população, investir na digitalização dos documentos e otimização dos trabalhos para reduzir gastos. Na área de segurança, o secretário quer reforçar os laços de parceria e integração com Brigada Militar, Polícia Civil, Ministério Público e Poder Judiciário.

Carreira

De família de brigadianos, César Augusto Pereira integrou os quadros da Brigada Militar por quase 32 anos. Na corporação, chegou ao posto de coronel, o mais alto entre os oficiais. Atuou no Batalhão de Operações Especiais (BOE), integrou o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) e foi diretor do Presídio Central de Porto Alegre.

No Vale do Taquari, comandou os batalhões de polícia de Lajeado e de Estrela. Antes de se aposentar, atuou diretamente no gabinete da Secretaria de Segurança Pública do RS, no governo de José Ivo Sartori (MDB).

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui