Desburocratizar e qualificar fluxo de trabalho são objetivos de Rafael Spengler na Secretaria da Fazenda de Lajeado

Economista assume em agosto a titularidade da pasta, sua primeira experiência no setor público. Ele substitui Guilherme Cé, secretário desde o início do Governo Caumo


0
Rafael Spengler é doutor em Economia e professor da área na Univates (Foto: Maria Eduarda Ferrari)

Anunciado como novo secretário da Fazenda de Lajeado, Rafael Spengler assume a titularidade da pasta em 1º de agosto. Até lá, ele trabalha na transição com o responsável pela função desde o começo do Governo Caumo, em 2017, Guilherme Cé.

Spengler chega à função por indicação de Cé, que decidiu sair da Fazenda para projetos pessoais. O atual e futuro secretário foram colegas no curso de Economia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Também fizeram cadeiras em pós-graduação e participaram de atividades ligadas às suas áreas de formação.

Na gestão Caumo, a secretaria — responsável pela arrecadação de tributos e gestão de investimentos — é pautada pelo corte de gastos, redução de impostos e enxugamento da máquina para que o município tenha caixa para grandes projetos e investimentos. Spengler diz que pretende manter a linha de trabalho adotada por Guilherme Cé, um liberal clássico.

 

Ele elogia a condução econômica de Lajeado, destaca a sua eficiência nas contas públicas, mas reconhece que ainda existem alguns gargalos. Por isso adianta que deseja aprofundar a virtualização de processos para desburocratizar o serviço público. Spengler também quer implementar um cronograma de atendimentos e serviços que possa qualificar ainda mais o fluxo de trabalho interno na pasta. Ele fala em melhorar, modernizar e agilizar.

O economista começou sua carreira como programador de software, e na análise de sistemas se encantou pela economia. Hoje ele é doutor na área — sua tese versa sobre a impessoalidade no setor público. Desde o semestre passado, é professor na Univates.

O próximo responsável pela Fazenda em Lajeado não tem vinculação partidária. Ele não tinha contato com o prefeito Marcelo Caumo antes de ser chamado para uma conversa para que ambos se conhecessem e vislumbrassem a possibilidade de fechar a parceria.

Ser titular da secretaria será seu primeiro cargo na área pública. “Venho com bagagem teórica muito forte e muitas ideias para implementar na prática daquilo que eu tenho de teoria”, pontua. “Sempre pensei em trabalhar minhas ideias dentro da gestão pública. Sendo uma indicação técnica, a gente tem um aval para poder trabalhar dessa forma”, valoriza.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui