Dia da Mulher: há um ano Simone Schneider tem o caminhão como seu companheiro de trabalho

Após ter sido frentista de posto de combustível e secretária, agora sua profissão é transportar cargas de terras com um caminhão caçamba


0
Antes de ser motorista de caminhão, Simone já foi secretária e frentista de posto de gasolina (Foto: Caroline Silva)

Na beira dos 39 anos, Simone Schneider, já foi frentista de posto de combustível e secretária, mas agora, há um ano, atua como motorista de caminhão em uma empresa de terranaplangem, em Estrela.

Casada e mãe de dois filhos, um de 19 e outro de 10, ela conta que foi incentivada pelo marido a começar na carreira de motorista. “Recebi incentivo do meu marido porque ele trabalhava há muito tempo no ramo da terraplanagem e me incentivou a fazer a carteira de motorista de caminhão. Consegui passar e me ‘botei em cima’ de um caminhão e gosto muito”, destaca.

Simone Schneider tem 38 anos e há um ano se tornou motorista de um caminhão caçamba (Foto: Caroline Silva)

Simone diz se sentir realizada com sua atual profissão. “Nunca tive medo, deu certo e até hoje está dando certo”, enfatiza. Com a roupa e as mãos sujas de barro por conta do serviço, a motorista diz que seu serviço parece pesado, mas não é. “A gente faz a parte dos loteamentos que é nosso forte e quando entram os serviços terceirizados levamos cargas de terras”, explica. O marido de Simone trabalha na mesma empresa, como condutor de retroescavadeira.

Questionada sobre sua profissão aos olhos de outras pessoas, ela ressalta que sempre foi muito elogiada. “Tem muita gente que olha até duas vezes para mim porque não acreditam ser uma mulher, mas é bem bacana porque nunca ninguém me desrespeitou, até buzinam e me elogiam”, comenta.

Texto: Caroline Silva
jornalismo@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui