Dia Nacional do Milho: o Brasil é o terceiro maior produtor, perdendo apenas para EUA e China

No Brasil, o uso para a produção de etanol nos dá uma janela importante de alternativa automotiva


1
Foto: Divulgação

Nativo das Ilhas do México o Teosinto “primo” do milho começou a ser domesticado a cerca de sete mil anos. Foram fazendo seleção natural para as características desejadas.

Segundo trabalho feito pelo engenheiro agrícola Fábio Freitas da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em parcerias com cientistas britânicos, esta domesticação ocorreu em vários locais inclusive aqui entre nós. Os índios da Amazônia sabiam lidar com plantas e entre elas feijão, abóbora e mandioca e também ajudaram nesta atividade com o milho. Os Guaranis por volta dos anos 1000 carregaram nas suas andanças o milho para o sudeste onde os colonizadores conheceram e levaram para a Europa. Era um alimento básico e do interior do continente tinha uma produção rápida, alguns meses, e de fácil transporte. Por exemplo se comparado com a mandioca.

O ciclo do Ouro de Minas Gerais no século 18 e a mão de obra dos escravos negros que conheciam o milho se tornou de fácil aceitação. Mas, como estava relacionado com índios, escravos e alimentação animal não ganhou valor na época.

A partir de 1950 ao se tornar produto de interesse internacional com baixo valor agregado e servindo de matéria prima para indústrias passa a se tornar cada vez mais importante.

O desenvolvimento da suinocultura, avicultura e gado de leite o milho passa a ter valor e ser visto de outra forma. Também sua valorização na alimentação humana. Passando a ser considerado hoje o “Grão de Ouro” conquistando cada vez novos espaços.

O Brasil é o terceiro maior produtor, perdendo para os EUA e China. E internamente o cultivo só perde em área para a soja.

Alimento rico em proteína, fonte saudável de energia, com muitos aminoácidos essenciais, gordura do tipo benéfico, em fim alimento altamente recomendável. Além disso utilizado em diversas outras situações “veja quadro anexo”. No Brasil o uso para a produção de etanol nos dá uma janela importante de alternativa automotiva. Na fabricação de cosméticos, maquiagem, talco, shampoo, cremes, produtos faciais, desodorantes e tantos outros usados no dia a dia. Usamos milho em diversas coisas e atividades e nem sabemos.

Quem sabe para comemorar esta data de 24 de maio (Lei de 27 de janeiro 2015) com um café com pão de milho, almoço polenta e bom molho e para encerrar o dia uma sopa de milho. Claro no meio da tarde uma pipoca. Este grão merece.

Texto por Nilo Cortez, engenheiro agrônomo

1 comentário

  1. Os grandes empresários do agronegócio comemoram, o pobre brasileiro passando fome, viva o capitalismo selvagem….

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui