A dica de filme desta sexta-feira para o fim de semana poderia ser sobre o tão comentado sonho de fazer carreira e enriquecer. Mas não é por um detalhe. O filme “Profissão de Risco” de 2001, conta a história real de George Jung, um rapaz que passa rapidamente de simples vendedor de maconha na praia à condição de maior traficante de cocaína dos Estados Unidos. Para quem gosta do seriado Narcos, da Netflix, este é um prato cheio, porque mostra o outro lado da história do tráfico de Coca. E em certo momento temos até a aparição do traficante Pablo Escobar.


Ouça o quadro


Formalmente, o filme é dos mais tradicionais. Começa com a infância de Jung, mostra a mudança para a Califórnia, os dias de curtição e aventuras nas praias e o dinheiro fácil vindo do tráfico de maconha. Como consequência natural de seu sucesso, Jung é convidado por figurões mais poderosos a traficar cocaína, droga menos volumosa e muito mais lucrativa que a maconha. É a partir desta virada que Jung passa a ganhar muito dinheiro – literalmente – em caixas e, graças às conexões certas, torna-se o grande responsável pela disseminação da coca no território norte-americano.

Foto: Divulgação

O trabalho do diretor Ted Demme é, no mínimo, polêmico. O filme glamouriza o mundo do crime, mostra como é fácil enriquecer com as drogas e trata os traficantes como verdadeiros superstars. Não raramente, a plateia se percebe torcendo por Jung, personagem que nas telas é vivido de forma simpática e atraente pelo sempre carismático Johnny Depp, mas que na vida real foi um dos maiores responsáveis pela destruição de inúmeras vidas e famílias por meio do vício. No elenco, Penélope Cruz interpreta Mirtha, a esposa de Jung, e Franka Potente vive Barbara, a namorada aeromoça dos tempos de Califórnia.

Pode-se argumentar que o final é “edificante”, já que Jung, na vida real, teve teoricamente a pena merecida. Mas, com certeza, na mente do público não ficará a punição recebida, mas sim as imagens das festas faraônicas, das pilhas de dólares acumulados em apartamentos, da fama, da fortuna e do respeito alcançados por meio da criminalidade.

Foto: Divulgação

Por todos estes motivos, este é um filme para se visto com o senso crítico ligado na potência máxima.

No cinema de Lajeado estão em cartaz os filmes: Piratas do Caribe – A Vingança de Salazar, Rei Arthur – A Lenda da Espada, Velozes e Furiosos 8, Guardiões da Galáxia Vol. 2 e Mulher-Maravilha. RG / CineClick

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui