Diretoria do Guarani de Venâncio Aires busca recuperar taças furtadas

Símbolos das principais conquistas do clube foram levados por ladrões.


0
Algumas das taças furtadas e taça da Seletiva Sul-Minas (Foto: Sérgio Batista)

A diretoria de um dos mais tradicionais clubes do futebol gaúcho, o Guarani de Venâncio Aires, está empenhada em recuperar parte da história da agremiação, que foi surrupiada do Estádio Edmundo Feix. Entre a noite da segunda-feira (11) e a madrugada da terça-feira (12), ladrões invadiram o estádio, localizado no Centro da cidade.

Do local, além de ventiladores, cabos eletrônicos e uma filmadora, os criminosos furtaram alguns dos principais símbolos das glórias do clube, fundado em 1929. Entre as quatro taças levadas, está o troféu da Seletiva Sul-Minas, título de âmbito nacional, conquistado pelo Guarani em 2002. “Estamos na expectativa de que a Polícia Civil ou a Brigada Militar possam reaver pelo menos esta taça (Seletiva Sul-Minas), que é algo que tem um valor sentimental muito grande para o torcedor rubro-negro”, comenta o presidente do Guarani, Sérgio Batista.

O dirigente apela para a sensibilidade e ressalta o baixo valor comercial dos troféus furtados. “Estamos pedindo para que a pessoa que levou, se sensibilize. As taças não têm valor comercial. Talvez tenham uma parte de alumínio, que possa ter algum valor, mas muito baixo. Já para a comunidade, as taças têm um valor sentimental muito grande. Quem tiver informações sobre o paradeiro delas, pode entrar em contato com as autoridades. Caso o ladrão quiser devolvê-las, pode entrar em contato conosco”, recomenda Batista. O telefone do o clube é o (51) 3741-9207.

Reforço na segurança

Depois do episódio, o presidente Sérgio Batista adianta que o clube buscará reforçar o sistema de segurança do estádio. “ Vamos começar no mês de fevereiro a discutir o planejamento para a Divisão de Acesso 2021, e vamos procurar parceiros que possam oferecer em troca de publicidade, um sistema de segurança mais eficiente”, afirma.

A Polícia Civil abriu inquérito para averiguar o caso. Até o momento, não há suspeitos.

Luís Fernando Wagner
noticias@independente.com.br

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui