Domingos Brazão, Chiquinho Brazão e delegado Rivaldo Barbosa são presos por mandar matar Marielle Franco no RJ

Atentado ocorreu em março de 2018, no qual também morreu o motorista Anderson Gomes


2
Foto: Renan Olaz/Câmara Municipal do Rio de Janeiro/Arquivo

Os irmãos Domingos Brazão e Chiquinho Brazão e o delegado Rivaldo Barbosa foram presos neste domingo (24) apontados como mandantes do atentado contra Marielle Franco, em março de 2018, no qual também morreu o motorista Anderson Gomes.

Os três foram alvos de mandados de prisão preventiva na Operação Murder, Inc., deflagrada pela Procuradoria-Geral da República (PGR), pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) e pela Polícia Federal (PF).

Os Brazão são políticos desde os anos 90, e Rivaldo assumiu a chefia da Polícia Civil um dia antes da execução. O delegado teria combinado com Domingos Brazão de não andar com as investigações do caso.

Os investigadores ainda trabalham para definir a motivação do crime. Do que já se sabe, o motivo tem a ver com a expansão territorial da milícia no Rio.

Os investigadores decidiram fazer a operação no início deste domingo para surpreender os suspeitos. Informações da inteligência da polícia indicava que eles já estavam em alerta nos últimos dias, após o Supremo Tribunal Federal (STF) homologar a delação premiada do ex-policial militar Ronnie Lessa.

Ao aceitar o acordo de colaboração com a PF, Lessa apontou quem eram os mandantes e também indicou a motivação do crime. Lessa está preso desde 2019, sob acusação de ser um dos executores do crime.

Fonte: G1

2 Comentários

  1. Foi Bolsonaro que mandou matar. Onde está a mídia que tentou encriminar Bolsonaro e seu filhos tropa de covardes.

  2. Se puxar um pouco mais na investigação, vai encontrar algum integrante da família bols…. na ponta da linha…

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui