EEEM Santo Antônio, de Lajeado, é foco de ação de estudantes da área da Saúde da Univates

Os universitários desenvolveram ações de prevenção a doenças e promoção à saúde com os adolescentes ao longo do semestre


0
Foto: Divulgação

Estudantes dos cursos da área da Saúde da Univates matriculados no componente curricular Vivências em Ambiente e Saúde II realizaram intervenções com jovens da Escola Estadual de Ensino Médio (EEEM) Santo Antônio, do Bairro Santo Antônio, de Lajeado. Os universitários desenvolveram ações de prevenção a doenças e promoção à saúde com os adolescentes ao longo do semestre.

As atividades foram acompanhadas pelas professoras Cátia Viviane Gonçalves e Gisele Dhein. Participaram 49 estudantes da Univates. O componente curricular é de todos os cursos da área da Saúde, exceto Odontologia e Medicina, que têm estrutura curricular modular. Durante o semestre aconteceram seis idas dos estudantes da Universidade à Escola: uma para conhecer a estrutura e escutar a equipe diretiva e cinco encontros destinados às intervenções.

Os estudantes da Univates foram divididos em cinco grupos. Cada grupo ficou responsável por uma turma do Ensino Médio noturno: duas turmas de primeiros anos; duas turmas de segundos anos e uma turma de terceiro ano. Os acadêmicos foram desafiados a planejar e pôr em prática ações de prevenção a doenças e promoção à saúde, a partir de uma primeira escuta sobre demandas de cada turma.

A proposta do componente curricular é a inserção do estudante na comunidade, com vistas ao desenvolvimento de atividades extensionistas que propiciem estudo dos cenários de práticas, vivências do trabalho multiprofissional e desenvolvimento de projeto de intervenção vinculado ao processo de formação do estudante.

Para finalizar as intervenções, a escola esteve na Univates no dia 23 de junho à noite, momento que contou com a presença de 52 estudantes do Ciep e oito docentes. Após serem recepcionados pela equipe da Universidade, os grupos de estudantes da escola realizaram trilhas organizadas pelos universitários, passando por setores e diferentes áreas da Univates.

Daiane Simonetti, de Marques de Souza, estudante de Fisioterapia, descreve como positiva a experiência desenvolvida por seu grupo com os estudantes. “Cada intervenção era um sentimento diferente. Foi um desafio lidar com o trabalho em grupo e intervir com adolescentes que possuem personalidades diferentes.”

Seu grupo, o 1, desenvolveu atividades com estudantes da EEEM Santo Antônio com o intuito de promover a Saúde, abordando assuntos envolvendo atividade física, música, dança, saúde mental, sentimentos, o corpo, entre outros.

“No início foram um pouco tímidos, sendo difícil prendermos a atenção deles. Mas, aos poucos, fomos os conhecendo e descobrindo maneiras criativas para tratar de alguns assuntos. Todos foram bem receptivos, demonstrando muito interesse nas práticas.”

Intervir diante das particularidades dos estudantes foi outro ponto que a acadêmica destaca como válido. “Uns muito ativos, outros tímidos, alguns com problemas familiares que os afetavam em aula, outros mais impacientes… Para meu futuro foi uma experiência perfeita, pois sei que terei que aprender a trabalhar em grupo e terei pacientes com personalidades diferentes, tendo que manter sempre a calma e buscando agir com empatia, promovendo o melhor para todos.”

A acadêmica Leidi Aiane Espindola, do curso de Enfermagem, também teve a experiência de atuar na EEEM Santo Antônio. “Foi muito gratificante e desafiador. Pude perceber a importância do trabalho multidisciplinar para a elaboração de estratégias de promoção em saúde.” A estratégia do seu grupo foi levar atividades de promoção à saúde de uma forma didática e interativa.

“Cada encontro foi planejado individualmente com atividades diversificadas conforme a demanda. Falamos sobre nossas profissões, possibilidades de áreas de atuação, engajamento no mercado de trabalho. Utilizamos a música e a pintura para trabalhar a saúde mental, falar sobre diversidades. Aplicamos dinâmicas para estimular que eles fizessem uma reflexão acerca de si mesmos, os encorajando para o futuro profissional e enaltecendo suas capacidades individuais”, descreve a estudante. Os estudantes também trabalharam as Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) por meio do Kahoot, ferramenta colaborativa on-line.

“Essa inserção na prática para vivenciar essas experiências é indispensável para a formação acadêmica, visto que, em sala de aula, nos deparamos só com a teoria, e essa junção com a prática é facilitadora. Esse contato interdisciplinar amplia nossa visão sobre como trabalhar em equipe e buscar soluções em saúde”, afirma Leidi. AI/EW

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui