Em 2021, 82% dos domicílios brasileiros tinham acesso à internet

Confira as informações do programa Correspondente Independente das 18h


0
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

A proporção de domicílios brasileiros com acesso à internet cresceu entre 2019 e 2021. Segundo a pesquisa sobre o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nos Domicílios brasileiros (TIC Domicílios) 2021, divulgada hoje (21), pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), na média, o percentual de residências aptas a acessar a rede mundial de computadores subiu de 71% para 82% no período de dois anos. Apesar disso, o país ainda contabiliza 35,5 milhões de pessoas sem acesso à internet e o número de domicílios das classes B, C e D/E com computadores caiu no mesmo período. A variação positiva foi mais significativa entre os domicílios de áreas rurais, segmento que evoluiu de 51%, em 2019, para 71%, em 2021. Entre as residências de áreas urbanas, a proporção foi de 75% para 83% no mesmo período. Fonte: Agência Brasil

Aneel reajusta em até 64% valor das bandeiras tarifárias para o ciclo 2022-2023

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou terça-feira (21) o reajuste nos valores das bandeiras tarifárias — cobrança extra aplicada às contas de luz quando aumenta o custo de produção de energia no país. Pela proposta aprovada pela agência, a maior alta será no valor da bandeira vermelha patamar 1, que terá uma alta de 63,7%. A bandeira amarela vai subir 59,5% e a vermelha patamar 2, 3,2%. Já a bandeira verde seguirá sem cobrança. Os novos valores entram em vigor em 1º de julho e serão válidos até meados de 2023. São eles:

Bandeira verde – continua sem cobrança adicional;

Bandeira amarela – de R$ 1,874 para R$ 2,989 a cada 100 kWh consumidos (+ 59,5%);

Bandeira vermelha patamar 1 – de R$ 3,971 para R$ 6,500 a cada 100 kWh consumidos (+ 63,7%);

Bandeira vermelha patamar 2 – de R$ 9,492 para R$ 9,795 a cada 100 kWh consumidos (+3,2%). Fonte: G1

Chega a 57 o número de mortes por dengue no RS

O Rio Grande do Sul confirmou mais uma morte por dengue, de acordo com o painel de acompanhamento da Secretaria Estadual da Saúde (SES). Ja são 57 óbitos pela doença em território gaúcho em 2022. O número é expressivamente maior do que nos anos anteriores. Em 2021, foram 11 mortes pela doença no RS, e em 2020, cinco. Novo Hamburgo é o município com mais vítimas fatais este ano (oito), seguido de Igrejinha (seis) e Horizontina (cinco). Em Porto Alegre, quatro pessoas morreram. A SES também notifica 43.984 casos de dengue em 2022. A maior parte das confirmações para a doença são de pessoas de 20 a 29 anos, totalizando 7.503 pessoas. Fonte: Correio do Povo

Homem furta ônibus em Ibirubá e provoca acidentes em Passo Fundo

Um fato inusitado movimentou a Brigada Militar de Passo Fundo na manhã desta terça-feira. Um homem que furtou um ônibus de uma empresa de Ibirubá, distante 95 km, ingressou na cidade em alta velocidade e colidiu com outro coletivo da Coleurb, no bairro Boqueirão. Após o acidente, o homem fugiu do local e colidiu com uma carreta. Cercado pela Brigada Militar, o homem acabou detido no Trevo da Caravela. O motorista foi conduzido à Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento de Passo Fundo (DPPA) e posteriormente ao presídio. Fonte: Correio do Povo

Menina de 11 anos grávida após estupro é liberada de abrigo em SC

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC) confirmou que a menina de 11 anos que está grávida de 29 semanas após ser vítima de estupro recebeu autorização para deixar o abrigo onde estava e ir para casa. A garota estava longe da residência para afastá-la do agressor, mas também para impedir que a mãe da criança buscasse o aborto legal em casos de estupro. Isso porque a juíza Joana Ribeiro Zimmer tentou induzir a menina a não realizar o aborto. Fonte: R7

Afetado pela estiagem, PIB do RS cai 3,8% no primeiro trimestre de 2022

O produto interno bruto (PIB) do Rio Grande do Sul caiu 3,8% no primeiro trimestre deste ano na comparação com os últimos três meses de 2021. No mesmo período, o PIB nacional subiu 1%. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (21) pelo Departamento de Economia e Estatística da Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão. De acordo com o levantamento, a estiagem puxou as perdas de 28,1% no setor de agropecuária. A indústria teve retração de 1,4%. Apenas o setor de serviços cresceu em relação ao último trimestre de 2021, com um avanço de 0,3%. Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui