Em fotos e vídeos, confira como foram as manifestações contra os pedágios e modelo de concessão neste sábado

Conforme os manifestantes, o maior descontentamento é com a permanência dos pedágios nos municípios. Comunidades também contestam o modelo de concessão de rodovias proposto pelo Governo do RS


1
Foto: Vinícius Mallmann

Insatisfeitos com o modelo de concessão de rodovias estaduais do bloco 2, que engloba o Vale do Taquari, vereadores de Cruzeiro do Sul e Encantado e a Associação Comercial e Industrial de Encantado (Aci-e) organizam um protesto neste sábado (11), das 9h às 12h. A ideia inicial era bloquear os trechos das praças de pedágios dos dois municípios. Mas o bloqueio total não foi permitido pelo policiamento. Como reflexo dos acontecimentos, municípios da parte alta do Vale devem deixar a Amvat na segunda (13).

Além da manifestação junto aos pedágios, foram realizadas carreatas. Os dois grupos se encontraram em fileiras de veículos na BR-386, onde também expuseram suas visões.

Conforme os manifestantes, o maior descontentamento é com a permanência dos pedágios nos municípios e ao modelo de concessão das rodovias proposto pelo Governo do RS. Os protestos foram pacíficos. A reportagem observou apenas um tumulto em Cruzeiro do Sul. Assista ao vídeo do episódio aqui.

Em Encantado, a praça de pedágio fica na localidade de Palmas, na ERS-130. Já em Cruzeiro do Sul, fica na localidade de Boa Esperança, no km 19, da RSC-453.

Desfiliação: Encantado e municípios do G18 deixarão a Amvat

 

Encantado

Em torno de 300 pessoas participaram do protesto em Encantado. Foi necessário o deslocamento do Batalhão do Grupo Rodoviário de Cachoeira do Sul para auxiliar na orientação. Entre os manifestantes, o prefeito de Roca Sales, Amilton Fontana, lamenta que a região sempre foi muito prejudicada. “É uma luta grande da comunidade. A região alta sempre foi muito prejudicada por esses pedágios, e isso tem influência no desenvolvimento dos municípios. Roca Sales também é bastante prejudicada e inclusive já sugerimos alterações governo do estado”, afirma. Conforme Fontana, em Encantado passam cerca de seis mil veículos por dia, e entre Lajeado e Arroio do Meio, são cerca de 20 mil. “Neste local, seria possível baixar as tarifas. Todos pagariam, seria bom para todos”, disse.

Cruzeiro do Sul

Em Cruzeiro do Sul, foram cerca de 40 manifestantes. A ideia inicial de fechar a rodovia acabou não ocorrendo, a partir da orientação da polícia rodoviária. Com cartazes e pedidos de Justiça, cerca de 40 pessoas fazem o protesto ao lado da ERS. No final da manhã, porém, uma carreata foi realizada rumo a Lajeado. A moradora de Cruzeiro do Sul e uma das líderes das manifestações, Tânia Heinen, não aceita as propostas apresentadas. “Estão querendo nos massacrar com mais 30 anos. Nós não aceitamos isso. Os valores são muito altos”, explica.

O prefeito de Cruzeiro do Sul, João Dullius, também participou do protesto que, segundo ele, se faz necessário a partir de um conjunto de reivindicações. “É uma questão do novo modelo de concessão, em que as melhorias seriam daqui há 20 anos, o pedágio que deve ficar no local que está. Então, são muitas questões que provocam essa revolta. Eu vejo que ainda estamos em negociação com o governo. Muitas pessoas moram de um lado e tem suas atividades do outro, e se tiverem que pagar esses valores, ficarão ainda mais revoltadas. Mas seguimos negociando parta que possam rever essa nova concessão e esse novo modelo”, completa.

Texto: Rita de Cássia, Alício de Assunção, Vinícius Mallmann e Tiago Silva
redacao@independente.com.br


1 comentário

  1. Eu estava em Encantado protestando, mas não tinha nem 70 pessoas. Depois parecia um comício político, cada político falando mais querendo arrecadar votos. Me decepcionei.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui