Em nova rodada de reuniões com governo, setor de eventos busca agilizar retomada no RS

A secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann, tem se mostrado receptiva às propostas.


0
Foto: Reprodução / Pixabay

Em mais uma rodada de audiências voltadas a azeitar os protocolos em busca de novas flexibilizações para o setor de eventos, representantes da Secretaria Estadual da Saúde (SES) receberam ao longo da semana as sugestões dos segmentos de casas de festas infantis, de bandas de baile e tradicionalistas e de eventos sociais. Enquanto aguardam pelo novo decreto que ampliará a gama de atividades liberadas, prometido pelo governo do Estado para o início de outubro, empresários e profissionais que atuam nas áreas de entretenimento e lazer preparam medidas e eventos-teste para mostrar que estão organizados para a retomada gradual.

Capitaneadas pelo presidente da Assembleia Legislativa, Ernani Polo, as reuniões foram realizadas no gabinete da presidência da Casa, de onde o grupos entraram em videoconferência com a equipe da SES. A secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann, tem se mostrado receptiva às propostas dos profissionais de eventos, mas demonstrado cautela diante da necessidade de adequação dos projetos e solicitado maior detalhamento das medidas a serem colocadas em prática, que serão amplamente analisadas pelo Comitê de Dados do Executivo gaúcho.

Há sete meses com atividades totalmente suspensas, o setor é responsável por gerar milhares de empregos e busca nos eventos-teste uma forma de demonstrar a capacidade de se readaptar à realidade da pandemia e voltar a atender o público, além de coibir a realização de festas e eventos clandestinos, que se proliferam pelo Estado e põem a segurança de milhares de gaúchos em risco. Polo, que tem sido mediador dos encontros, afirma que não se trata de buscar neste momento a reabertura total das atividades, mas definir um cronograma para a retomada gradual, respeitando todos os protocolos.

Segundo o parlamentar, o setor está empenhado em seguir as recomendações das autoridades sanitárias e de especialistas para garantir a segurança do público e das equipes envolvidas nos eventos. “A retomada dos eventos está sendo planejada com muita atenção e critérios técnicos para prevenir a saúde das pessoas. Depois de sete meses, o setor de eventos não suporta mais continuar de portas fechadas, sem qualquer receita. Ao mesmo tempo, percebe-se que estão ocorrendo eventos clandestinos que não seguem nenhum protocolo e cuidado. As casas de eventos, depois das novas regras de PPCI, investiram na sua infraestrutura, e têm condições de realizar eventos com regras e cumprindo protocolos”, destaca o presidente.

Na quarta-feira (7), profissionais de festas infantis foram ouvidos pela secretária Arita. O grupo apresentou os protocolos estruturados nacionalmente, em parceria com a Associação das Empresas e Parques de Diversões do Brasil (Adibra). Segundo, Janaina Bercht, uma das representantes do segmento em Porto Alegre, o projeto apresentado à equipe do governo mostrou como é possível executar medidas de segurança em uma festa infantil. “Apresentamos o projeto com protocolo de medidas de higiene e distanciamento para o segmento de casa de festas infantis, que foi recebido de forma positiva pela equipe, sendo sugeridos alguns detalhamentos que serão feitos já na próxima semana, em nova reunião. Saímos confiantes e otimistas de que estamos construindo um caminhar sólido e seguro rumo à retomada”, enfatizou a empresária, proprietária da casa de festas Kids Choice.

O segmento defende que, diferentemente das operações de eventos de grande porte, consegue fazer uma rastreabilidade de pessoas com facilidade, já que a maioria das festas que promove reúne famílias e listas de convidados de fácil identificação- em caso de necessidade de checagem de casos de Covid-19- e que é possível promover festas para público familiar reduzido.

Na tarde desta quinta-feira (8), a reunião com representantes das bandas de baile e tradicionalistas tratou principalmente da organização de evento-teste programado para ser realizado em Canoas, no Clube Tradição. A ideia do grupo é conseguir definir com o poder público uma data para o projeto-piloto, de preferência entre os dias 19 e 22 de outubro. Na sexta (9) será a vez do segmento de eventos sociais ser recebido pela equipe da SES.

Outra mobilização contra eventos clandestinos e pela possibilidade de retomar a realização responsável de eventos tem sido organizada pelos empresários de casas noturnas e promotores de festas, que movimentam mais de R$ 1 bilhão por ano no Rio Grande do Sul.

Após apresentarem à prefeitura da Capital e ao secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rodrigo Lorenzoni, um plano para a reabertura gradual de casas noturnas, eventos e festas, o grupo planeja para novembro a realização de um evento-teste, mediante venda de ingressos e testagens antecipadas, entre outras medidas de prevenção.

Após a liberação de eventos corporativos e comerciais, o setor aguarda para esta semana a nova adequação do teto de capacidade para realização de eventos de entretenimento. A expectativa é de que o governo estadual amplie para 40% o teto máximo de público sentado em eventos, de acordo com a capacidade de cada estabelecimento.

Fonte: Jornal do Comércio

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui