Em poucos meses, o Pix se transformou em um dos principais meios de pagamento no Brasil, diz analista da Sicredi

Em função dos golpes e fraudes, Banco Central restringiu transferências noturnas


1
Bárbara Berté é analista de desenvolvimento da Sicredi Integração RS/MG (Foto: Tiago Silva)

Segurança das transações bancárias pelo Pix e os novos hábitos de transferências foram temas da entrevista do programa Redação no Ar desta terça-feira (5) com a analista de desenvolvimento de negócios do Sicredi Integração RS/MG, Bárbara Berté.

Desde essa segunda-feira (4) está valendo o limite de R$ 1 mil para transferências e pagamentos por pessoas físicas das 20h às 6h. A restrição vale tanto para transações por Pix quanto para outros meios de pagamento, como transferências intrabancárias, via Transferência Eletrônica Disponível (TED) e Documento de Ordem de Crédito (DOC), pagamentos de boletos e compras com cartões de débitos.

A limitação foi estabelecida pelo Banco Central em função dos golpes e fraudes realizados por meio do Pix, que, de forma geral, tem ocorrido mais nestes horários e também pelo fato de que, durante o dia, o cliente pode contar com maior assistência das instituições bancárias que está vinculado. Antes ficava a cargo de cada instituição fazer a limitação dos valores e quanto cada usuário poderia movimentar para evitar fraudes e golpes.

“O Pix, em poucos meses de funcionamento, se transformou em um dos principais meios de pagamento da população brasileira. Hoje, 59% da população já faz a utilização do Pix”, detalha Bárbara. “Temos mais de 100 milhões de usuários, e aqui na nossa cooperativa, no Sicredi Integração, já temos mais de 25 mil chaves cadastradas atualmente. O pessoal faz a utiliza no seu dia a dia, já se tornou uma praticidade do dia a dia do nosso associado”, observa.

Com as novas regras do BC, os bancos também devem oferecer aos clientes a possibilidade de definir limites distintos de movimentação no Pix durante o dia e a noite, permitindo limites mais baixos no período noturno. Ainda será permitido o cadastramento prévio de contas que poderão receber Pix acima dos limites estabelecidos, mantendo os limites baixos para as demais transações.

Na semana passada, o BC estabeleceu medidas adicionais de segurança para o sistema instantâneo de pagamentos, que entrarão em vigor em 16 de novembro. Uma delas é o bloqueio do recebimento de transferências via Pix a pessoas físicas por até 72 horas, caso haja suspeita de que a conta beneficiada seja usada para fraudes.

1 comentário

  1. Principais meios de pagamento no Brasil kkkkkkkkkkk e de golpes também! Conheço pelo menos duas pessoas que sofreram consequências com isso! Praguedo que tem enganado muito idosos e pessoas despreparadas!

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui