Em vantagem, Internacional recebe o Atlético-GO pela Copa do Brasil

Colorado deve delegar a seus jogadores reservas a missão de conquistar uma vaga nas quartas de final da Copa do Brasil.


0
Foto: Ricardo Duarte / Internacional

Na constante luta para sobreviver à temporada com o “grupo curto”, o Inter deve delegar a seus jogadores reservas a missão de conquistar uma vaga nas quartas de final da Copa do Brasil. Hoje, às 21h30, no Beira-Rio, uma equipe colorada alternativa enfrenta o Atlético Goianiense, precisando de um empate para avançar às quartas de final da Copa do Brasil – não há saldo qualificado, ou seja, qualquer derrota por um gol de diferença leva a decisão para os pênaltis. Derrota por dois gols ou mais classifica o Atlético.

O grande “reforço” desse time deverá ser Thiago Galhardo, que, expulso contra o Corinthians, não poderá jogar contra o Coritiba, pelo Brasileirão. O restante dos titulares deve ser preservado para o compromisso de domingo pela 20ª rodada da competição nacional, da qual o Inter ainda é líder – beneficiado pelas derrotas do Flamengo, no domingo, e do Atlético Mineiro, ontem, diante do Palmeiras.

Após o jogo, Galhardo foi às redes sociais pedir desculpas à torcida e aos seus companheiros. Ele garantiu que não teve intenção de machucar Otero. “Meu histórico prova que não sou um jogador maldoso. Estou muito chateado. Vou trabalhar para voltar ainda mais forte”, disse o artilheiro do Inter na temporada, com 20 gols.

Outra adição à equipe pode ser Patrick, que deu entrevista na véspera do jogo, algo que costuma ser um indicativo de que o jogador vai a campo. “Não podemos levar em conta essa vantagem. Se pensar nisso desde o início, pode se tornar um jogo perigoso. Podemos usar isso nos minutos finais e gastar o tempo se estivermos em vantagem”, acredita o meio-campista. “No começo, tem que entrar focado e concentrado, sem pensar que estamos classificados”, afirmou o meio-campista, sem confirmar se estará em campo. “O professor vai colocar quem estiver bem fisicamente”, despistou.

Coudet deve escalar ainda um jogador com potencial de se tornar titular em um futuro próximo: Yuri Alberto. Contratado do Santos com status de promessa, o atacante da Seleção Brasileira Sub-20 tem entrado bem nos jogos – com exceção da derrota para o Corinthians, quando teve poucos minutos. Na ocasião, o treinador explicou que não o acionou mais cedo porque ele havia jogado 60 minutos na véspera, pela Seleção. Hoje, Yuri terá uma oportunidade para se credenciar à vaga de Abel Hernández no time principal.

Resta saber ainda se Rodrigo Moledo, que ficou fora dos últimos dois jogos com um problema muscular, estará recuperado. Se estiver liberado, certamente começará como titular. Até ontem à noite, o clube não informou se ele foi relacionado – e os treinos são todos fechados. O restante da escalação deve ser semelhante àquela que venceu no Estádio Olímpico de Goiânia por 2 a 1, na semana passada.

Naquela ocasião, o time reserva, aliás, teve melhor desempenho do que os titulares no jogo seguinte, contra o Corinthians. É hora de se recuperar após uma das piores apresentações no ano. “Foi um dia em que não jogamos bem. Essa é a realidade”, resumiu Coudet. “Quando uma equipe não está bem, não se vê da melhor maneira”.

Se o Inter vai poupar a maioria dos titulares, por outro lado o adversário também não se apresentará com time completo. O Atlético Goianiense tem ao menos seis desfalques. Os laterais Dudu e Natanael e o meia Gustavo Ferrareis, emprestados pelo Inter, não podem jogar, assim como Arnaldo, Zé Roberto e Everton Felipe, que já entraram em campo na Copa do Brasil por outros times. O zagueiro Éder, que saiu do último jogo com dores musculares, é dúvida.

O grupo do Dragão viajou a Porto Alegre direto de Curitiba, onde jogou no sábado e perdeu para o Coxa por 1 a 0, e treinou ontem à tarde no CT Luiz Carvalho, do Grêmio. Os jogadores garantem que a vantagem construída pelo Inter em Goiânia é reversível.

O meia brasileiro e sul-coreano Chico, camisa 10 do time goiano lembrou que a decisão ainda não acabou. “Estamos com os pés no chão, com humildade, vamos jogar contra um time que está em cima na tabela do Brasileirão, mas agora é outro campeonato, é mata-mata, não acabou”, afirmou o jogador. “Teve o ‘primeiro tempo’ em nossa casa e agora vamos jogar na casa deles. Temos feitos bons jogos fora de casa, então estamos focados para fazer história, seria algo incrível”, acredita Chico.

Os jogadores do Atlético Goianiense treinaram pênaltis ao final da atividade no CT Luiz Carvalho – em 2008, o time goiano se classificou em Porto Alegre em uma disputa de pênaltis, contra o Grêmio, no Olímpico. Este ano, após um início regular no Campeonato Brasileiro, o Dragão vem de uma sequência ruim – nas últimas três rodadas, foram duas derrotas e um empate.

Fonte: Correio do Povo

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui