Em videoconferência, Dália Alimentos apresenta balanço de 2020 e tem as contas aprovadas

Assembleia Geral Ordinária (AGO) ocorreu em caráter virtual pelo segundo ano devido à pandemia


0
Crédito da foto: Carina Marques / Piccinini fez a abertura e o encerramento da assembleia

Pelo segundo ano consecutivo, a Cooperativa Dália Alimentos realizou a sua Assembleia Geral Ordinária (AGO) por videoconferência. As contas e o balanço relativos ao exercício de 2020 foram aprovados por unanimidade pelos 74 delegados que se dividiram por regiões e em grupos pequenos no último sábado (20).

Com o aporte da estrutura do Sicredi Região dos Vales, assim como ocorreu no ano passado, foi possível realizar a reunião. Na matriz, em Encantado, permaneceram o presidente do Conselho de Administração e responsável por conduzir a assembleia, Gilberto Antônio Piccinini; o presidente-executivo, Carlos Alberto de Figueiredo Freitas, o vice-presidente, Pasqual Bertoldi; o contador Ivo Vila, a auditoria, o conselho fiscal e suporte. As agências de Anta Gorda, Arroio do Meio, Encantado e Guaporé receberam os delegados das regiões, respeitando o número de pessoas, o distanciamento e os protocolos para a prevenção ao Coronavírus.

Piccinini fez a abertura da AGO e lembrou do vídeo em formato de reunião postado via YouTube no dia 10 de março, com acesso ao quadro social, cujo material registrou 925 visualizações. “Foi uma forma de realizar uma pré-assembleia, a exemplo das assembleias regionais presenciais, para que todos ficassem a par do que iriamos abordar na assembleia geral, já que não foi possível realizá-las fisicamente, em face à pandemia. Desta maneira foi possível levar a informação até as famílias com o amparo da tecnologia.”

Piccinini deu início à reunião e logo chamou Bertoldi para a leitura do edital de convocação e da mensagem da Direção. Depois, os números começaram a ser explanados pelo contador Ivo Vila, conforme descrito no relatório de atividades 2020. Neste exercício a Receita Operacional Bruta da Dália Alimentos foi de R$ 1.626.140.516,00, enquanto em 2019 foi de R$ 1.191.204.643,00, um significativo acréscimo de 36,51%.

Conforme o presidente-executivo, o ano de 2020 ficará na história, pois a humanidade enfrentou a quarta pandemia, o que ocorre a cada cem anos. “Também foi atípico para o nosso segmento de negócios, com rentabilidade positiva atribuída principalmente pelo registro da peste suína africana na Ásia, na Europa e, mais intensamente, na China. Diante deste cenário houve expressivo aumento na exportação de carne suína, com excelentes preços e alta rentabilidade”, explicou Freitas.

O executivo também falou sobre os mercados dos lácteos e da carne de frango, que diferente da proteína suína, passaram por dificuldades e não apresentaram a rentabilidade almejada. Por outro lado, fez uma perspectiva de como será 2021 e, realista, informou que será mais difícil que o anterior diante dos cenários pandemia e viabilidade econômica da cadeia do agronegócio. “Com o acréscimo dos custos de produção que ocorreram em 2020 e sua continuidade em 2021 estamos cientes de que o preço dos grãos se manterá em patamares elevados, pois o continente asiático está reestruturando e repovoando o seu rebanho e passou a ser um grande importador de grãos. Por isso, a carne será produzida com custos altos, da mesma forma nos lácteos e na avicultura, e o desafio está em produzir e repassar os custos com rentabilidade, pois assim que a China estiver com seus rebanhos em produção, a oportunidade de exportação se reduzirá.”

O delegado Eduardo Ammes, em nome dos demais, foi chamado aleatoriamente para solicitar a provação ou não das contas. Sanadas as dúvidas, as contas relativas ao exercício foram aprovadas por unanimidade.

Ao encerrar a assembleia, Piccinini agradeceu a participação e a postura dos delegados, que se adaptaram a este novo modelo de reuniões e encontros. “Vocês estão cumprindo com o papel de lideranças responsáveis por serem o vínculo entre a cooperativa e os seus associados”. E reforçou: “O ano de 2021 não será fácil e a Dália Alimentos, ciente disso, é realista diante do cenário apresentado. Por isso, sejamos fortes, com atenção e cuidado especial para a saúde física e mental e que sejam bons gestores de nossas propriedades. A crise sanitária e econômica tem reflexos internacionais e em nome do Conselho de Administração desejamos que todos saibam e consigam gerir seus negócios da melhor forma possível.”

Nova nomenclatura para as regiões

Piccinini também apresentou aos delegados a reestruturação das regiões, as quais foram redefinidas em sua nomenclatura e no número de associados. A modificação foi elaborada pelo Conselho de Administração visando facilitar e racionalizar o trabalho das lideranças. O estudo foi realizado após a reestruturação do quadro social, realizada em 2019 e aprovada em assembleia, reduzindo de 147 para 74 delegados.

A Região Anta Gorda passa a ser Região Alto do Vale do Taquari; Região Arroio do Meio passa a ser denominada como Região Vale do Taquari Sul; Região Candelária mudou para Região Vale do Rio Pardo; Região Encantado mudou para Região Vale do Taquari Leste; Região Júlio de Castilhos agora se chama Região Centro Serra; Região Progresso recebeu o nome de Região Vale do Taquari Oeste; Região Serafina Corrêa passou a ser Região da Serra Planalto e Região Guaporé a Região da Serra.

Conselho Fiscal

Na ordem do dia também constava a eleição e pose do Conselho Fiscal para o exercício 2021, o qual ficou constituído pelos titulares Veridiana Alba, Daniel Fröhlich e Gustavo Fleck e pelos suplentes Adriana Inês Diemer Garmatz, José Carlos Ziliotto e Gilmar Joner. AI/VM

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui