Empresa apresenta câmera capaz de detectar sintoma de coronavírus

Por radiação, equipamento mede a temperatura corporal.


0
Foto: Divulgação

A empresa Siera Brasil Eletronics apresenta ao mercado uma opção tecnológica para garantir mais segurança, na retomada da atividade econômica, em meio a pandemia do novo coronavírus. A Câmera Térmica é capaz de aferir a temperatura corporal das pessoas e revelar se alguém encontra-se em estado febril, um dos principais sintomas de infecção por Covid-19. O diretor comercial da Siera, Walter Cariry, explica o funcionamento do equipamento. “A Câmera Térmica já existe no mercado, mas destinada para outras aplicações, como a identificação de incêndios por exemplo. Através de imagens, a câmera identifica os objetos filmados e atribui cores diferentes de acordo com a temperatura emanada pela radiação dos corpos. Se houver alguém com uma temperadora superior a 37.8 graus (limite antes da febre), um alarme será disparado”, esclarece.

De acordo com Cariry, o equipamento é ideal para a porta de acesso de grandes empresas, onde a aglomeração de pessoas, muitas vezes, é inevitável. “Atualmente as indústrias estão adotando o termômetro de mão para mediar a temperatura dos funcionários. Esse processo é lento e gera aglomerações. A câmera é capaz de detectar a temperatura de 16 pessoas simultaneamente, o que agiliza o processo de entrada nas dependências da empresa, evitando que as pessoas se aglomerem. Já temos vários clientes na Europa, que já usa essa tecnologia a mais tempo e algumas indústrias aqui no Rio Grande do Sul”, explica.

Outro benefício da tecnologia é a capacidade de identificar as pessoas por reconhecimento facial. “Esta ferramenta permite criar uma espécie de ‘black-list’, com o nome das pessoas que testaram positivo para a doença e precisam ficar isoladas em quarentena. Caso uma dessas pessoas seja flagrada pela câmera, ela será identificada e um alarme será disparado também”, revela.

Cada kit do equipamento com uma câmera, licença de software, calibrador eletrônico, entre outros componentes, custa mais de R$ 100 mil. “Não é uma câmera barata. Mas a pergunta que se faz é: quanto custa para uma empresa, shopping center, hospitais, entre outros, um processo de entrada lento, medindo a temperatura das pessoas individualmente?”, questiona.

Para apresentar detalhes da tecnologia, a Siera realiza vídeo-aulas pelo sistema EAD (Educação a Distância), via internet nesta sexta-feira (22). Para participar, o interessado deve enviar um e-mail para o endereço contato@sierabrasil.com.br. “Enviaremos um link que o interessado deverá acessar para acompanhar a apresentação gratuitamente. São três opções de horário: às 9h, às 14h e às 16h”, detalha Walter Cariry. Mais informações no site www.siera.com.br. LF


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui