Empresa atenta, aliada à ação da polícia, evita golpe que resultaria em prejuízo de R$ 130 mil

Criminosos já lesaram outras cinco empresas no Estado.


1
Foto: Draco

Um caso de estelionato que resultaria em um golpe de aproximadamente R$ 130 mil foi evitado nesta segunda-feira (6), em Lajeado.

Ao final tarde, a Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) efetuou a prisão em flagrante de um homem de 39 anos, morador de Caxias do Sul. Ele tentava aplicar um golpe em uma empresa lajeadense que vende pneus.

Sabe-se que, no mínimo, dois criminosos buscavam adquirir 70 pneus para caminhões de modo fraudulento. Conforme o delegado Dinarte Marshall Júnior, o grupo fez a negociação e fez o pedido do produto mediante documentos inautênticos. Os criminosos usaram o nome de uma empresa legítima.


ouça a fala do delegado

 


Após a emissão da nota fiscal e agendamento da entrega da mercadoria, a empresa que seria lesada desconfiou estar sendo vítima de um possível golpe. Foi então feito contato com a Polícia Civil e, sob orientação dos agentes da Draco, foi dada continuação à compra, agendando-se hora e local para retirada da carga.

Ao chegarem para buscar os pneus, os agentes policiais esperavam os golpistas e efetuaram a prisão de um dos elementos. O homem é de Caxias do Sul e possui antecedentes por roubo, receptação, estelionato e tentativa de homicídio. Ele foi enquadrado por estelionato e recolhido ao Presídio Estadual de Lajeado.

Em continuidade à investigação, apurou-se que em fevereiro deste ano, o mesmo grupo aplicou um golpe em outra empresa do ramo de pneus, também em Lajeado, sendo que nesta ação logrou êxito em retirar R$ 98 mil em pneus. Outras duas empresas do Vale do Taquari também já foram alvo dos estelionatários e pelo menos outras duas de outra região do Estado. As últimas quatro citadas de diferentes segmentos.

O que chama a atenção nos dois últimos casos de Lajeado é que foram usados documentos de empresas legítimas como cópias de contratos sociais, declarações de renda, documentos de identificação e outros documentos fiscais sigilosos. O seguimento das investigações irá determinar se são originais e de que forma foram obtidos.

O grupo teve o caminhão apreendido por divergência nos sinais identificadores, bem como celulares e documentos. MS

1 comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui