Empresário e funcionária são presos por falsificação de álcool gel 70%

Produto é ineficaz contra o coronavírus.


0

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco – Núcleo Saúde) do Ministério Público (MP), com apoio da Brigada Militar (BM), prendeu, nesta quinta-feira (3), um empresário de Porto Alegre e a responsável técnica da empresa por falsificação de álcool gel 70%.

Entre as diversas irregularidades constatadas no produto fabricado por eles, se sobressai o teor de álcool etílico de apenas 53,7%, circunstância que acarreta, segundo laudo técnico, ineficácia na defesa contra a Covid-19.

Conforme a investigação, o produto foi revendido durante a pandemia do novo coronavírus para farmácias, clínicas médicas, distribuidoras de medicamentos, mercados, prefeituras e até Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae).

Segundo o laudo de análise do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), além do menor teor de álcool etílico, a amostra do produto continha pH correspondente a 9,3, quando o valor referência indicado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é de 5 a 7.

O álcool gel 70% ganhou projeção mundial durante a pandemia, quando seu uso passou a ser amplamente recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), pela Anvisa e por diversos outros órgãos públicos e entidades privadas. MS/MP


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui