Empresários cobram apuração dos problemas que causaram as cheias e medidas de melhor previsão

"Não podemos permitir falhas ou erros de medição", defende o presidente da Acil, Cristian Bergesch.


0

Um grupo de empresários liderados pela Associação Comercial e Industrial de Lajeado (Acil) esteve reunido na manhã desta quarta-feira (15) com o prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo. O encontro teve como objetivo cobrar mais eficaz sistema de previsão das cheias do Rio Taquari para que episódios como o da última semana não voltem a se repetir, causando prejuízos e danos às empresas e residências do município.


OUÇA A REPORTAGEM


O presidente da Acil, Cristian Bergesch, sintetizou que o encontro busca, junto à prefeitura, a averiguação das falhas no processo de medição e sinalização da cheia e a adoção de sistema prático para que toda a comunidade tenha condições de monitorar a subida das águas.

Bergesch sugere que o município tenha obras e planejamento a longo prazo, como a construção de recuos e bacias ao longo do rio, e também trabalho sistêmico e pontual, como a remoção de famílias que ocupam casas que estão abaixo de determinada cota de leitura de água, assim como manter uma fiscalização para que estas áreas não voltem a ser ocupadas.

Também defende que o plano de monitoramento e sinalização seja de fácil interpretação e leitura, capaz de ser visualizado e entendido de forma acessível por qualquer cidadão durante a chegada da inundação. “As informações precisam ser claras, igualmente, para que pessoas que estão pensando em ir para aquele lugar tenham informações sobre o nível que pode chegar a água.”

Presidente da Acil, Cristian Bergesch (Foto: Joel Alves)

“É inconcebível que a régua de Encantado tenha sido superada. Não é a primeira cheia que isso acontece”, ressaltou o presidente em participação no programa Na Boca do Povo desta quarta-feira (15). “Não podemos permitir falhas ou erros de medição”, complementa.

Segundo ele, um empresário relatou que foi totalmente surpreendido pela falta de previsão da real altura que a água atingiria, o que provocou vultuosos prejuízos à sua empresa.

Réguas de sinalização

Caumo anunciou ao grupo que a prefeitura trabalha, nesta semana, exclusivamente para resolver o assunto das cheias. Está sendo estudada a implantação de réguas que ficarão espalhadas pela cidade. “A primeira deve ficar junto ao Parque dos Dick e deve estar finalizada dentro de 30 dias,” adiantou.

Além do sistema de monitoramento por réguas, o prefeito defende a importância de ter processo automatizado, de âmbito regional, para medição e previsão do nível das águas. “O uso da régua deve ser complementar nessas leituras. O monitoramento pelos sistemas é mais eficaz e nos permite previsão em tempo hábil para tomar as decisões necessárias.” Por outro lado, antecipou que, a partir de agora, o Vale do Taquari estará em linha permanente com os órgãos estaduais de controle e previsão, recebendo todas as informações do avanço das futuras cheias de forma direta.

Bento Rosa

O diretor de Infraestrutura da Acil, Leandro Eckert, perguntou ao prefeito como está a tramitação do projeto de levantamento da rua Bento Rosa, para que sua pista de rolamento fique fora da cota de alcance de pequenas cheias. Caumo explicou que o projeto já está com a concessionária da BR 386, CCR, que irá executar a obra juto com a duplicação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui