Escola Érico Veríssimo de Lajeado não retoma aulas presenciais por falta de funcionários

A escola estadual conta com 780 estudantes, em três turnos, e aguarda contratação de profissionais para áreas de limpeza e preparo da merenda


0
Salas de aulas estão vazias na escola desde março de 2020 (Foto: Gabriela Hautrive)

Diferente da maioria das escolas estaduais do Vale do Taquari, que nesta quinta-feira (13) receberam o restante dos alunos de cursos técnicos e ensino normal na retomada presencial das aulas, a Escola Estadual de Educação Básica Érico Veríssimo de Lajeado, que atua apenas com alunos do Ensino Médio em três turnos (manhã, tarde e noite) não conseguiu retornar com as aulas por conta da falta de funcionários na área de limpeza e produção da merenda escolar.


ouça a reportagem

 


Diretora da Érico Veríssimo, Silvana Battisti (Foto: Gabriela Hautrive)

Conforme a diretora do educandário, Silvana Battisti, cerca de 780 alunos estão matriculados na escola, em 27 turmas, e os problemas com falta de profissionais já existia antes mesmo da pandemia, porém, foi agravado. “Estamos em permanente contato com a coordenadoria e todas as vezes fomos bem recebidos, temos portas abertas lá, e sabemos que tudo o que está ao alcançe da coordenadora Cássia ela está fazendo.”

Mesmo mantendo uma boa relação com a 3ª Coordenadoria Regional de Educação (3ª CRE), a diretora reforça que o pedido para contratação de profissionais não foi atendido pelo Governo do Estado. A maior demanda, conforme Silvana, é para prestação de serviços no período da noite. “Sai um turno, entra outro, e nesse meio tempo é preciso fazer a higienização dos espaços, mas isso neste momento não é possível. Além disso, também estamos com a falta de merendeiras”, explica.

A escola Érico Veríssimo está Localizada no Bairro São Cristóvão, em Lajeado, há 45 anos, e desde março de 2020, quando as aulas foram paralisadas pela pandemia, não teve mais a presença de seus alunos no local. “Nós temos material físico e não temos material humano, na limpeza, na merenda, além de outros setores, como por exemplo alguém para receber os alunos, aferir a temperatura e pessoas para atuar no departamento financeiro”, relata.

A diretora diz que é bastante frustrante ver outras escolas voltando e não poder fazer o mesmo. “Vemos os nossos professores, que estão aqui na escola preparando aulas, querendo muito retornar. O contato físico, a aula presencial, não pode ser substituída pela aula a distância. Então, isso faz muita falta para nós professores, escolas e, principalmente, para os alunos”, pondera.

Professores trabalham na escola Érico Veríssimo mesmo sem a presença dos alunos (Foto: Gabriela Hautrive)

Apesar das conversas com a 3ª CRE, representante do Governo do Estado na região, Silvana relata que não há previsão para que os profissionais sejam contratados e possibilitem o retorno das atividades. “Depende de todo um processo para que o profissional seja contatado, contratado, saia no Diário Oficial, e depois então chegue até nós. Estamos no aguardo, previsão não temos e isso é uma insegurança muito grande para nós”, destaca.

Enquanto isso, a diretora segue sem dar respostas a seus alunos e comunidade escolar. “Eles nos questionam, mas não sabemos o que dizer. É algo muito incerto”. Para dar início ao processo de retomada das aulas, seria necessário ao menos uma pessoa para produzir a merenda e um profissional com contrato de 40 horas semanais para fazer a limpeza. O prédio da escola conta com uma área de 20 mil metros². “Nosso espaço físico, para quem passa aqui na frente, pensa que são apenas os dois prédios da frente, mas a escola é imensa. Tem a frente, um campo de futebol imenso e mais uma área verde”, relata.

Espaço físico da escola conta com 20 mil metros² (Foto: Gabriela Hautrive)

Falta publicação do Diário Oficial

Conforme a responsável pela 3ª Coordenadoria Regional de Educação  (3ª CRE), Cássia Benini, os contratos para ter os profissionais na escola já foram autorizados a uma servente e uma merendeira, faltando apenas a publicação no Diário Oficial do Estado. “Estamos esperando a publicação no Diário Oficial, e assim que sair elas já podem trabalhar, algo que talvez aconteça amanhã, e então a escola já pode recomeçar a retomada das aulas presenciais”, relata.


OUÇA O QUE DIZ A 3ª CRE

 


Cronograma de volta às aulas

O cronograma da volta às aulas na rede estadual iniciou na segunda-feira, dia 3 de maio, começando pela Educação Infantil e pelos 1º e 2º anos do Ensino Fundamental. No Vale do Taquari, a rede estadual conta com 85 escolas. São mais de 19 mil alunos em 32 municípios na área da 3ª Coordenadoria Regional de Educação. Nesta quarta-feira (12) voltaram alunos do 2º e 3º ano do Ensino Médio e nesta quinta-feira (13) os estudantes do Ensino Técnico e Curso Normal, totalizando assim a retomada em todos os níveis de ensino.

Além da limpeza dos prédios, estrutura precisa de cuidados no pátio (Foto: Gabriela Hautrive)

Escolas municipais

O dia 29 de abril também marcou a retomada das aulas presenciais para alunos da rede municipal de ensino de Lajeado. Na data, 1.305 estudantes puderam voltar às escolas, representando 64,8% de todos os que estavam aptos ao retorno, que é 2.013. Durante a manhã foram 682 crianças e à tarde 623.

O retorno naquele momento foi válido para alunos de 3 a 5 anos da Educação Infantil atendidos em Escolas Municipais de Ensino Infantil (Emeis); 4 e 5 anos da Educação Infantil atendidos em Emefs e 1º e 2º ano do Ensino Fundamental.

Os demais níveis, 3º ao 9º ano do Ensino Fundamental, voltaram na segunda-feira (3). O total de matrículas na cidade é 3.750, sendo 1.820 alunos em escolas de Educação Infantil e outros 1.930 no Ensino Fundamental.

Rede privada de Lajeado

No dia 29 de abril iniciou a retomada das aulas presenciais em escolas da rede privada de Lajeado. Os educandários seguiram cronogramas com retorno gradual, iniciando pela Educação Infantil e Ensino Fundamental. Dos cinco colégios particulares do município, apenas o Colégio Evangélico Alberto Torres (Ceat) voltou com todos os níveis ao mesmo tempo, representando cerca de 70% dos estudantes da escola.

Os demais, Cenecista João Batista de Melo (Melinho), Madre Bárbara, Gustavo Adolfo e o Sinodal Conventos, voltaram primeiro com os estudantes nas séries iniciais, até o 5º ano, e no dia 3 de maio receberam os outros níveis, a partir do 6º ano do Ensino Fundamental e todos do Ensino Médio.

Vacinação dos professores

Equipamentos de Proteção Individual são disponibilizados para quando a retomada das aulas for possível (Foto: Gabriela Hautrive)

Os profissionais da educação de Lajeado passam a fazer parte do grupo prioritário de pessoas para vacinação contra a Covid-19. Recebem a vacina nesta primeira etapa todos que atuam na área, sendo professores, monitores e técnicos administrativos, portadores de comorbidades e que fizeram cadastro no sistema disponibilizado pela prefeitura.

Segundo o prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo, a vacinação começa nesta quinta-feira (13), a partir das 16h30, no Posto de Saúde do Centro. Conforme a assessoria de imprensa, não há um número exato total de quantos profissionais atuam nas três redes de ensino (municipal, privada e estadual), mas a estimativa é de que cerca de 2,2 mil profissionais recebam o imunizante.

Confira também:

Texto: Gabriela Hautrive
reportagem@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui