Especialista em matéria eleitoral observa alta abstenção no pleito deste domingo

Segundo Fábio Gisch, esse fator interfere no quociente eleitoral e baixa a quantidade de votos necessários para a eleição de vereadores.


0
Foto: Tiago Silva

O advogado especialista em Direito Eleitoral Fábio Gisch compartilhou suas impressões sobre o pleito 2020 em entrevista à Rádio Independente no início da tarde deste domingo (15). Conforme ele, é uma eleição diferente.

Gisch observou que a abstenção está sendo muito grande. Segundo ele, esse fator interfere no quociente eleitoral (entenda aqui) e, consequentemente, baixa a quantidade de votos necessários para a eleição de vereadores às Câmaras Municipais.


ouça a entrevista

 


 

Gisch comenta também o fim das coligações eleitorais para o Legislativo. Conforme ele, os partidos centralizaram as candidaturas foram centralizadas em poucas siglas para se unir os votos e possibilitar ao grupo político assegurar maior número de cadeiras.

“Pela primeira vez a gente tem isso”, sobre a imposição da cláusula de barreira. “Os partidos se redesenharam neste período até as eleições”, afirma. “E hoje, nós teremos uma surpresa muito grande nas apurações”, adianta.

O advogado explica também que a lei eleitoral foi alterada para minimizar que puxadores de votos levem junto candidatos com uma quantidade muito baixa. Agora é necessário ter ao menos 10% do número de votos do quociente eleitoral para garantir uma vaga, mesmo para suplência.

“No decorrer do mandato, nós podemos ter Câmaras com menos vereadores, porque não teremos suplentes aptos”, destaca. “Se o suplente não tiver aqueles votos, certamente nós teremos Câmaras com vereadores a menos.”

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui