“Espero que a gente não defina na terça que vem”, diz presidente da Famurs sobre previsão de retorno às aulas

Segundo Emanuel Hassen de Jesus, o governo do Estado mantém sua disposição de retomar as aulas pela educação infantil.


2
Presidente da Federação das Associações dos Municípios do RS (Famurs) e prefeito de Taquari, Emanuel Hassen de Jesus (Foto: Reprodução/Arquivo)

O presidente da Federação das Associações dos Municípios do RS (Famurs) e prefeito de Taquari, Emanuel Hassen de Jesus, o Maneco, comentou os principais pontos discutidos em reunião por videoconferência, na manhã desta quarta-feira (19), sobre a retomada das aulas presenciais, com os representantes das 27 regiões gaúchas, secretários estaduais, integrantes do Ministério Público e do Tribunal de Contas.


OUÇA A ENTREVISTA


“A composição da reunião determina a importância do tema”, comenta o presidente, ressaltando a responsabilidade de construir coletivamente uma decisão sensata. Na reunião, a Famurs apresentou o resultado da pesquisa onde 94% dos prefeitos são contra o calendário de retorno das aulas proposto pelo Estado e se posicionou de forma contrária à proposta de calendário, defendendo a inviabilidade do retorno. Outra manifestação da entidade é de que, independente da data definida, a decisão da liberação das aulas seja baseada no modelo de Distanciamento Controlado do RS, não transferindo assim a responsabilidade para os prefeitos.

Para Maneco, o retorno das aulas é diferente do que o do comércio. “São crianças que não tem o discernimento necessário”, afirma. “São situações diferentes e que, portanto, precisam de um tratamento diferente”, defende.

Segundo Hassen, no encontro virtual, o governo do Estado manteve sua disposição de retomar as aulas pela educação infantil. No entendimento da Famurs, se for o caso de retornar, deveria começar pelo ensino superior.

Uma nova reunião sobre o tema foi agendada para a próxima terça-feira (25). “Espero que a gente não defina na terça que vem, que ainda tenhamos um prazo para os números do Estado caiam ainda mais”, comentou o presidente da Famurs e prefeito de Taquari, Maneco Hassen, que não descarta a possibilidade do governo apresentar uma contraproposta e apresentar uma data de retorno.

Maneco defende que as atividades sejam retomadas após a desaceleração do número de casos, garantindo assim maior segurança a comunidade escolar.

Ao final da entrevista, Hassen avaliou o modelo de distanciamento controlado, agora com o modelo de cogestão. Segundo ele, os municípios e o próprio governo têm mais tranquilidade para tomadas de decisões. “Não houve contestações com a gravidade que tivemos em outros momentos”, afirma.

2 Comentários

  1. Não querem dar aula, peçam pra sair. Salário garantido querem né ?? Tá tudo muito fácil…volta as aulas sim. Nenhuma criança morreu nos últimos 5 meses da pandemia..professores idosos ? Fiquem em casa..

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui