Estado atribui dois óbitos e 194 novos casos de Covid ao Vale do Taquari neste sábado

As vítimas eram moradoras dos municípios de Estrela e Taquari


0
Foto: Reprodução / Shutterstock

A Secretaria de Saúde do Estado (SES) do Rio Grande do Sul informou dois óbitos e 194 novos casos de Covid-19 entre moradores do Vale do Taquari neste sábado (08). As vítimas são uma mulher de 54 anos de Taquari e um homem de Estrela, de 56 anos.

Tiveram novos casos os municípios de Teutônia (81), Lajeado (32), Roca Sales (21), Estrela (11), Arroio do Meio (12), Santa Clara do Sul (6), Muçum (6), Dois Lajeados (5), Paverama (4), Nova Bréscia (3), Encantado (2), Marques de Souza (2), Capitão (2), Fazenda Vilanova (1), Ilópolis (1), Relvado (1), Arvorezinha (1), Tabaí (1), Colinas (1) e Pouso Novo (1)

Em Lajeado, conforme informações da prefeitura divulgadas na atualização até sexta-feira (07), eram 13.432 casos confirmados (19 novos), 13.134 recuperados (23 novos), 171 óbitos e 127 casos ativos.

A região chegou a um total de 40.064 casos registrados de coronavírus. Destes, 38.853 são considerados recuperados (96,9%), além de 500 casos ativos. A taxa de letalidade é de 1,7%, com 711 óbitos reconhecidos pelo Estado.

Leitos de UTI no Vale
Dos 65 leitos de UTI disponíveis no Vale do Taquari, 56 (75%) estavam ocupados às 17h deste sábado (08). Eram 20 pessoas em leitos de UTI geral (35,7%), sem ligação com a Covid-19; 32 com confirmação de coronavírus (57,1%), e quatro com suspeita da doença (7,1%).

O Hospital Bruno Born, de Lajeado, tem 30 leitos de UTI, sendo que estavam 28 ocupados (93,3%). São 13 pacientes na UTI Adulta não Covid (46,4%) ; 13 confirmados para a doença (46,4%), e três com suspeita (7,1%).

O Hospital Estrela, em Estrela, dispõe de 20 leitos de UTI, sendo que havia 15 pacientes internados (75%). Eram sete com confirmação para a doença (46,7%); sete não Covid (46,7%) e um suspeito (6,7%).

O Hospital de Caridade São José, de Taquari, tem 10 leitos de UTI, sendo que cinco estavam ocupados (50%), todos com confirmação de coronavírus (100%).

Já o Hospital Beneficente Santa Terezinha, de Encantado, tem sete leitos de UTI e tinha sete pacientes internados (100%), todos confirmados para a doença (100%).

Estado
O Rio Grande do Sul teve 94 óbitos e 4.167 novos casos de Covid-19 conforme a Secretaria Estadual de Saúde. Agora o estado chega a um total de 1.007.208 casos confirmados de Covid-19. Desses, 965.233 estão recuperados (96%); 15.994 (2%) casos ativos e 25.901 pessoas morreram em decorrência do coronavírus (2,6%).

Leitos
Às 16h deste sábado (7), 79,3% dos leitos de UTI do estado estavam ocupados. Eram 2.681 pacientes para 3.382 leitos disponíveis.

Vacinação
Rio Grande do Sul já tem 2.457.646 de pessoas vacinadas com a primeira dose da vacina contra a Covid-19, o que representa 21,5% dos 11.422.973 habitantes gaúchos. Desses, 1.029.951 (9,01%) já receberam a segunda dose.

Brasil
Conforme informações do site G1, o Brasil registrou 2.217 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando nesta sexta-feira (7) 419.393 óbitos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias chegou a 2.158. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -15%, indicando tendência de estabilidade nos óbitos decorrentes do vírus.

Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h desta sexta. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

Essa é a menor média móvel de mortes registrada desde 18 de março, quando ela estava em 2.096 – e em plena ascenção naquele momento. O ritmo atual, no limite da faixa da estabilidade, mesmo quando em queda não ficou abaixo de -20% nas últimas semanas. É pouco se comparado ao ritmo de crescimento que a curva apresentou em março, com altas que passaram de +50%. Apenas um estado apresenta tendência de alta nas mortes: RR. O país completa agora 52 dias seguidos com a média móvel de óbitos acima dos 2 mil mortos por dia. Já são 107 dias no Brasil com a média móvel de mortes acima da marca de mil.

Texto: Rita de Cássia
redacao@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui