Estado contabiliza seis novos casos de covid-19 para a região nesta quarta-feira

Não houveram registros de óbitos


0
Foto: Reprodução / Freepik

A Secretaria Estadual da Saúde contabilizou seis novos casos de covid-19 para o Vale do Taquari nesta quarta-feira (15). Não houve registros de óbitos.

Tiveram novos casos os municípios de Lajeado (3), Taquari, Travesseiro e Relvado. Conforme o Estado, a região chegou a um total de 47.983 casos registrados de coronavírus. Destes, 46.945 são considerados recuperados (97,8%), além de 189 (0,4%) casos ativos. A taxa de letalidade é de 1,7%, com 849 óbitos reconhecidos pelo Estado.

Leitos de UTI no Vale

O Vale do Taquari possui 65 leitos de UTI e 33 pacientes (50,7%) estavam internados às 17h desta quarta. Eram 26 pessoas em leitos de UTI geral (78,8%), sem ligação com a covid-19, um com suspeita (3%) e outras seis com confirmação de coronavírus (18,2%).

O Hospital Bruno Born, de Lajeado, tem 30 leitos de UTI, sendo 18 ocupados (60%). São 16 pacientes na UTI Adulta não covid (88,2%) e dois com a confirmação da doença (11,1%).

O Hospital Estrela, em Estrela, dispõe de 20 leitos de UTI, sendo que havia 11 pacientes internados (55%). Era um com confirmação para a doença (9,1%) e dez (90,9%) sem relação com a covid-19.

O Hospital de Caridade São José, de Taquari, tem 10 leitos de UTI, sendo que dois estavam ocupados (20%), um com suspeita (50%) e um com confirmação de covid-19 (50%).
Já o Hospital Beneficente Santa Terezinha, de Encantado, tem cinco leitos de UTI e tinha dois pacientes internados (40%), todos com a confirmação da doença (100%).

Vacinação

Conforme consta no “Vacinômetro”, ferramenta disponibilizada pela Secretaria da Saúde do Estado Rio Grande do Sul, o Vale do Taquari tinha 262.527 pessoas vacinadas contra o coronavírus às 17h desta terça. Como a população da região é de 368.453 mil habitantes, calcula-se que cerca de 71,2% dos moradores já receberam ao menos uma dose do imunizante. Destes, 252.966 receberam a primeira dose (68,6%), 147.569 já tiveram a segunda dose aplicada, ou seja, 40% dos habitantes da região e 9.561 receberam uma dose única (2,6%), totalizando 157.130 pessoas com o ciclo vacinal completo (42,6%). Desde a última terça-feira (14), foram contabilizadas mais 1.012 pessoas vacinadas com a 1ª dose, 2.421 com a 2ª dose e 17 com dose única.

Estado

O Rio Grande do Sul registra nesta quarta-feira (15), 28 óbitos e 714 novos casos de covid. Agora, o Estado chega a um total de 1.421.433 casos confirmados. Desses, 1.384.308 são considerados recuperados (97,3%); em acompanhamento, 2.494 casos ativos (0,1%); e 34.538 morreram em decorrência do coronavírus (2,4%).

Leitos

Às 17h desta quarta-feira (15), 56,8% dos leitos de UTI do estado estavam ocupados. Eram 1.876 pacientes para 3.301 leitos disponíveis.

Vacinação

Rio Grande do Sul já tem 7.845.851 de pessoas vacinadas com a primeira dose da vacina contra a covid, o que representa 77,1% dos 11.466.630 habitantes gaúchos. Desses, 4.520.829 já receberam a segunda dose (39,4%); e 300.626 receberam dose única (2,6%).

Brasil

Conforme o site G1, o Brasil registrou nesta terça-feira (14) 709 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, com o total de óbitos chegando a 587.847 desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias ficou em 520 –voltando a ficar acima da marca de 500 após 6 dias. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -19% e segue apontando tendência de queda. Já são 22 dias seguidos com queda nesse comparativo.

O aumento na média de mortes diárias para acima da marca de 500 é reflexo do feriado prolongado do início do mês. A média móvel atual considera os 7 dias logo após o feriado do Sete de Setembro. Como ocorre desde o início da pandemia, os dias posteriores a finais de semana estendidos trazem números maiores de casos e mortes que foram represados no feriado – o que resultou nessa subida na média. Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h desta terça. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

Texto: Vinicius Mallmann e Rita de Cássia
regional@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui