Estado contabiliza três óbitos e 410 novos casos de covid-19 ao Vale do Taquari nesta quarta-feira

As mortes foram registradas nos municípios de Teutônia, Roca Sales e Putinga


0
Foto: Reprodução / Shutterstock

A Secretaria Estadual da Saúde contabilizou quatro três e 410 novos casos de covid-19 para o Vale do Taquari nesta quarta-feira (16). As mortes foram registradas nos municípios de Teutônia, uma mulher de 86 anos, Roca Sales, um homem de 85 anos e Putinga, uma mulher de 75 anos.

Tiveram novos casos os municípios de Lajeado (118), Arroio do Meio (54), Bom Retiro do Sul (33), Estrela (28), Teutônia (25), Taquari (24), Relvado (23), Encantado (22), Dois Lajeados (17), Cruzeiro do Sul (10), Muçum (9), Arvorezinha (8), Fazenda Vilanova (7), Putinga (6), Capitão (4), Roca Sales, Marques de Souza e Ilópolis (3), Paverama, Progresso, Vespasiano Corrêa, Pouso Novo e Sério (2) e Anta Gorda, Travesseiro e Coqueiro Baixo (1).

Conforme o Estado, a região chegou a um total de 67.492 casos registrados de coronavírus. Destes, 62.903 são considerados recuperados (92,9%), além de 3.620 (5,6%) casos ativos. A taxa de letalidade é de 1,4%, com 952 óbitos reconhecidos pelo Estado.

Leitos de UTI no Vale

O Vale do Taquari possui 55 leitos de UTI e 25 pacientes (47,2%) estavam internados às 17h desta terça. Eram 19 pessoas em leitos de UTI geral (73,1%), ou seja, sem relação com a covid, dois com suspeita (7,7%), e cinco com confirmação de coronavírus (19,2%).

O Hospital Bruno Born, de Lajeado, tem 30 leitos de UTI, e 16 pacientes (53,3%) estavam internados, 14 sem relação com a covid-19 (87,5%), um com suspeita (6,2%) e outro com confirmação (6,2%).

O Hospital Estrela, em Estrela, dispõe de 10 leitos de UTI, sendo que havia cinco pacientes internados (50%), sendo todos sem relação com a doença (100%).

O Hospital de Caridade São José, de Taquari, tem 10 leitos de UTI, sendo que dois estavam ocupados (20%), um com confirmação da doença (50%) e um com suspeita (50%).

Já o Hospital Beneficente Santa Terezinha, de Encantado, tem cinco leitos de UTI e tinha três pacientes internados (60%) dois com confirmação de covid-19 (66,7%) e um com suspeita (33,3%).

Vacinação

Conforme consta no “Vacinômetro”, ferramenta disponibilizada pela Secretaria da Saúde do Estado Rio Grande do Sul, o Vale do Taquari tinha 305.919 pessoas vacinadas contra o coronavírus às 18h desta terça. Como a população da região é de 368.453 mil habitantes, calcula-se que cerca de 83% dos moradores já receberam ao menos uma dose do imunizante. Destes, 296.243 receberam a primeira dose (80,4%), 266.488 já tiveram a segunda dose aplicada, ou seja, 72,3% dos habitantes da região, 9.676 receberam uma dose única (2,6%), totalizando 276.164 pessoas com o ciclo vacinal completo (74,9%) e 103.313 doses de reforço (28%).

Estado

O Rio Grande do Sul registrou nesta quarta-feira (16), 41 óbitos e 14.472 novos casos de covid. Agora, o Estado chega a um total de 2.050.705 casos confirmados. Desses, 1.919.875 são considerados recuperados (93,6%); 93.007 são casos ativos (4,5%) e 37.706 mil pessoas morreram em decorrência do coronavírus (1,8%).

Leitos

Às 16h30 desta quarta-feira (16), 64,8% dos leitos de UTI do estado estavam ocupados. Eram 1.994 pacientes para 3.078 leitos disponíveis.

Vacinação

O RS registra até esta quarta-feira (15), 9.235.176 pessoas vacinadas com a primeira dose da vacina contra a covid, o que representa 80,5% dos 11.466.630 habitantes gaúchos. Desses, 8.113.480 já receberam a segunda dose (70,7%); e 305.321 receberam dose única (2,6%), totalizando 8.418.801 pessoas com o ciclo vacinal completo (73,4%); e ainda 3.259.322 de pessoas com a dose de reforço (28,3%).

Brasil

Conforme informações do site G1, o Brasil registrou nesta terça-feira (15) 909 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 639.822 óbitos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias é de 847 –completando 8 dias acima da marca de 800. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +30%, indicando tendência de alta nos óbitos decorrentes da doença.

Texto: Vinicius Mallmann e Rita de Cássia
regional@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui