Estado determina fechamento do comércio no Vale do Taquari a partir de sexta-feira

Na próxima semana, para o Dia das Mães, haverá a possibilidade de atendimento nas lojas da região, mas com restrições e não presencial.


4
Foto: Reprodução / Facebook

Em coletiva de imprensa pelas redes sociais na tarde desta quinta-feira (30), o governador Eduardo Leite (PSDB) anunciou mais restrições para duas regiões do Rio Grande do Sul diante do avanço da Covid-19. Entre elas, a vedação ao comércio. A medida vale para os municípios do Vale do Taquari e da Região Norte do Estado, por conta dos índices negativos de Lajeado e Passo Fundo na pandemia.

Com isso, a contar desta sexta-feira (1º), o comércio do Vale do Taquari não poderá abrir as portas. É um modelo de decreto transitório, levando em conta o status da região diante da pandemia. Está na bandeira vermelha, entre os locais mais críticos para a infecção no momento no Rio Grande do Sul.

Devido ao Dia das Mães, celebrado em 10 de maio, as lojas destas duas regiões poderão atender aos clientes, mas com restrições. Entre elas drive thru, delivery ou takeaway (entenda os termos abaixo), ou seja, evitando ou diminuindo o contato presencial com o consumidor.

Entenda

O governo do Estado dividiu o território gaúcho em 20 regiões. O grupo de Lajeado, que contará com as restrições mais extremas, conta com 37 municípios. Destes, 24 não têm casos de Covid-19. Mesmo assim, não poderão abrir o comércio. Arvorezinha foi colocado junto de Passo Fundo, ou seja, também terá as lojas fechadas. Já Tabaí não está em outra regional, fora do alerta vermelho, e poderá atender. Este local tem quatro casos confirmados, de funcionários de um frigorífico, mas todos estão recuperados.

Por mais que o comércio tenha que deixar de atender no Vale do Taquari, ainda não há definição sobre o funcionamento das indústrias. Em Lajeado, há focos do novo coronavírus na Companhia Minuano de Alimentos e na BRF, mas estas ainda poderiam seguir trabalhando, até nova ordem do Estado. Sobre o assunto, o prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo (PP), disse ao Grupo Independente que pretende esperar a publicação do decreto, o que deve ser feito pelo Piratini até a sexta-feira (1°).

O panorama do Estado diante da doença, anunciado nesta quinta-feira, ainda é monitorado pelo governador para a finalização de um decreto. Por enquanto, as regiões do Vale do Taquari e de Passo Fundo, por terem mais casos e óbitos, já devem começar a aplicar o fechamento do comércio a contar da sexta-feira. Os demais, até a publicação, poderão optar pelo funcionamento ou não do comércio.

Em contrapartida, Leite anunciou a obrigatoriedade do uso de máscaras no transporte, para ônibus, táxi e aplicativo. A medida entra em vigor nesta sexta-feira. “Nós não acreditamos em soluções milagrosas. Esse novo modelo vai nos dar mais base científica para tratar a doença em cada região”, disse o governador.

Educação

O Estado anunciou também que a rede pública de ensino, tanto municipal quanto estadual, retomará as aulas presenciais em junho. Para isso, o período de férias, de 15 dias, que seria concedido em julho, vai ser adiantado para maio, a fim de fechar o calendário, que deverá se estender até janeiro de 2021. Já as escolas privadas poderão voltar em maio, a partir da publicação do novo decreto, desde que cumpram os protocolos de higienização do Estado. Uma data, no entanto, não foi estabelecida.

A divisão

Para determinar o fechamento do comércio em algumas regiões gaúchas, o governo levou em conta critérios. Separou o Rio Grande do Sul em 20 regiões e sete macrorregiões. O critério de concentração avaliado esteve em leitos de UTI, em especial na capacidade de leitos para a população acima de 60 anos, ou idosos. “População que mais vai precisar de internações”, pontuou Leite. Neste aspecto, o Vale do Taquari tem a pior situação, com o menor número de leitos de UTI.

Maior incidência do estado em Lajeado

Nos últimos sete dias, conforme o governo do Estado, Passo Fundo teve 113 novos casos da doença, sendo que em Lajeado foram 66 pacientes no período. Já com relação à incidência para cada 100 mil habitantes, Lajeado domina. Tem 4,4, contra 1,92 de Passo Fundo. Na tarde desta quinta-feira eram 84 infecções em Lajeado e quatro mortes. Em Passo Fundo, 152 testes positivos para a Covid-19 e 11 óbitos.

São cinco níveis de gravidade apontados no estudo, separados pelas cores amarela, laranja, vermelha e preta – indo da mais fraca até a mais preocupante. Lajeado e Passo Fundo ocupam a bandeira vermelha. No momento não há município na preta. A análise do governo será semanal, ou seja, a classificação poderá mudar conforme os dados das localidades. “Nas sextas-feiras vamos pegar os dados da semana para fazer a atualização das bandeiras”, garantiu o governador.

Estão na região do Vale do Taquari os seguintes municípios: Anta Gorda, Arroio do Meio, Bom Retiro do Sul, Boqueirão do Leão, Canudos do Vale, Capitão, Colinas, Coqueiro Baixo, Cruzeiro do Sul, Dois Lajeados, Doutor Ricardo, Encantado, Estrela, Fazenda Vilanova, Forquetinha, Ilópolis, Imigrante, Lajeado, Marques de Souza, Muçum, Nova Bréscia, Paverama, Poço das Antas, Pouso Novo, Progresso, Putinga, Relvado, Roca Sales, Santa Clara do Sul, São José do Herval, São Valentim do Sul, Sério, Taquari, Teutônia, Travesseiro, Vespasiano Corrêa e Westfália.

O Rio Grande do Sul tinha 1.466 casos do novo coronavírus às 16h desta quinta-feira – 152 deles no Vale do Taquari. Entre os pacientes estaduais, 855 estão recuperados (58,3%), 560 em processo de recuperação ou ativos (38,2%) e 51 óbitos (3,5%).

Entenda os termos

Delivery: tele-entrega do produto ao cliente.

Drive thru/drive-in: compra ou retirada do produto sem sair do veículo.

Takeaway: Serviço “pague e leve”, em que o cliente encomenda de casa ou do trabalho e retira o produto no local, sem entrar no estabelecimento.

Medidas na região

Antes do anúncio do governador, a Prefeitura de Lajeado havia determinado o fechamento dos serviços não essenciais, permitindo apenas supermercados e farmácias. A medida valerá a partir das 20h desta quinta-feira até as 6h da próxima segunda-feira (4). Contudo, por conta de acordo coletivo firmado entre sindicatos, em consideração ao Dia do Trabalhador, celebrado na sexta-feira (1º), os supermercados não poderão abrir na data. No sábado (2) e no domingo (3) estão liberados.

A Prefeitura de Imigrante anunciou, na tarde desta quinta-feira, isolamento total no município das 22h até as 6h de segunda-feira (4). Neste período está proibido o funcionamento dos estabelecimentos comerciais, industriais e de serviços, bem como a ingestão de bebida alcoólica em locais públicos, interditadas praças e parques, proibido jogo de bocha e carta em locais públicos e cultos religiosos com a presença de fiéis, sendo permitida a transmissão online do encontro.

Texto: Natalia Ribeiro / jornalismo@independente.com.br

4 Comentários

  1. Por falta de uma ação mais dura em relação aos frigoríficos, todos os outros setores sofrem. A pergunta é simples: A justificativa dos frigoríficos de que “têm de abastecer” a população lges dá o direito de seguir disseminando a doença? Desde quando dependemos de uma ou duas empresas para isso? E o prefeito, não tem coragem para agir?

  2. Gilberto vc tem toda a razão acho que o Prefeito tem é medo das grandes industrias.Marcelo Caumo vê se cria coragem e fecha essas empresas porque vai ser o povo que votou em vc que vai pagar o preço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui