Estado passa a contabilizar apenas casos hospitalizados para definir bandeiras

Governador admitiu nesta quarta-feira (20) que diferença no número de testes de municípios influencia na comparação de regiões.


1
Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

Nesta quarta-feira (20), o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), mais uma vez realizou uma coletiva online na página do Governo do Rio Grande do Sul no Facebook. A novidade é que oficialmente são contabilizados apenas os casos hospitalizados de Covid–19 para a definição das bandeiras definidas para o distanciamento controlado. Ele admite que o fato de alguns municípios testarem mais que outros influencia na comparabilidade e, por essa razão, essa discrepância numérica deve diminuir.

Com base em apontamentos de especialistas do Comitê de Dados e da Secretaria da Saúde, haverá ajustes em dois dos 11 indicadores usados para calcular o risco de cada região, representado pelas quatro cores de bandeiras.

“Estamos analisando constantemente como o entendimento do modelo se dá nos municípios e o quanto esses indicadores interferem nos resultados finais para termos o resultado mais fiel ao que efetivamente está acontecendo no Rio Grande do Sul e para termos um modelo que funcione e tenha eficácia”, esclareceu o chefe do Executivo gaúcho.

A mudança será feita porque os dados de hospitalização são mais estáveis: não há tanta variação entre os municípios ou as regiões que testam mais ou menos, corrigindo possíveis distorções, e também para que não se gere uma eventual diminuição da testagem em algum local, o que vai contra a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Além disso, os casos confirmados de coronavírus de pacientes internados têm notificação compulsória, sendo obrigatória às autoridades, diferentemente da testagem de pessoas não internadas.

Neste sábado (23), o governador ressalta que será realizado o calculo, no mesmo formato que vinha sendo feito. Porém, para a próxima semana (bandeiras com validade de 1º a 7 de junho), já será feito nos novos moldes.

Na mesma publicação, o governador respondeu outras perguntas de jornalistas e mostrou preocupação com as mudanças repentinas nos órgão sanitários do país. Leite também disse que, em reunião com governadores, foi definido que será levada a para a reunião com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nesta quinta-feira (21) a situação das finanças dos estados e dos auxílios por parte do governo federal. Também disse que os governos estaduais devem , na mesma reunião, pedirão união das esferas para superar a crise, pois se está governando para o mesmo povo, além de ressaltar que essa deverá ser uma reunião pacífica entre governadores e presidente da república. AI/JC

1 comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui