Estado suspende retorno presencial da rede estadual e aulas remotas continuam

No Vale do Taquari, nenhuma instituição estadual havia retornado de forma presencial.


0

Mais um capítulo da novela da volta às aulas no Rio Grande do Sul. A partir desta quarta-feira (4), a Secretaria da Educação (Seduc) decidiu suspender as aulas presenciais em todas as escolas da rede estadual do Estado. A suspensão vale para todos os níveis de ensino nos 497 municípios gaúchos. O retorno das aulas presenciais vinha ocorrendo, de forma gradual, desde o dia 20 de outubro.

No Vale do Taquari, as aulas remotas continuavam acontecendo e nenhuma escola havia retornado com o atendimento presencial. Conforme a coordenadora  da 3ª Coordenadoria Regional de Educação (3ª CRE), que abrange 88 escolas estaduais da região, Cassia Benini, nada mudou a partir desta decisão. “As escolas não tinham retornado as atividades presenciais, visto que ainda não receberam todos os itens de EPIs e produtos de higiene. Iremos manter as atividades remotas como já vínhamos atuando”, diz.

De acordo com a coordenadora, as aulas seguem no formato on-line até que seja apreciado o recurso do Estado. A decisão do governo é motivada após sentença do Tribunal de Justiça que manteve a obrigatoriedade do Estado em fiscalizar as escolas, com agente da área sanitária ou de competência equivalente, antes de permitir a retomada das aulas presenciais.

Duas realidades

Jordanna Silveira de Souza não voltaria para a sala de aula (Foto:Caroline Silva)

Quando a estudante do segundo ano do ensino médio, Jordanna Silveira de Souza, soube da possibilidade de retornar para a escola, logo tomou uma decisão: a de não voltar. “Eu e minha mãe conversamos e optamos por não voltar, pela saúde dos professores e pela nossa”, comenta.

Para a jovem o ensino remoto tem funcionado e contribuído com seu aprendizado. “Temos bastante trabalhos, aulas ao vivo, mas está funcionando. Já estamos no final, então é só seguir”, destaca a estudante.

Vitória Luísa Graffitti estava preparada para retornar à escola (Foto:Caroline Silva)

Enquanto para Jordanna as aulas virtuais são sinônimo de aprendizagem, para Vitória Luísa Graffitti das Chagas, retornar para a sala de aula é uma necessidade quando o assunto é aprender. “Está sendo muito complicado, não consigo acompanhar e isso dá bastante desmotivação por não aprender”, lamenta.

A mãe da jovem já havia, inclusive, assinado a autorização do retorno de Vitória para a escola, justamente porque para ela não há aprendizado em casa. “Eu não conseguiria fazer uma prova agora, por exemplo. Muita coisa eu fazia, mas muita coisa pegava da internet apenas para entregar”, conta.

No momento, a estudante parou de fazer as atividades on-line. “Estou sempre me obrigando a voltar, mas nunca tenho uma motivação para retornar com os estudos”, comenta Vitória.

Texto: Caroline Silva
jornalismo@independente.com.br


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui