“Estamos privando as crianças de algo saudável”, diz psiquiatra sobre a falta de convivência nas escolas

Para Rafael Moreno, “a pandemia deu uma rasteira total nas instituições de ensino”.


0
Foto: Arquivo / Grupo Independente

O médico psiquiatra Rafael Moreno ressaltou, no Troca de Ideias desta segunda-feira (6), a preocupação de pais e educadores com a perda de aprendizado e desenvolvimento que a pandemia de coronavírus vai causar em crianças e adolescentes em idade escolar. Conforme ele, no Ensino Superior, os alunos e os professores já estavam, de certa forma, habituados com os implementos tecnológicos no contexto das aulas, e também com a realização de atividades a distância. Porém, nos ensinos infantil, fundamental e médio não.


ouça a entrevista

 


 

O ensino híbrido (presencial e não presencial) e à distância é uma coisa nova, afirma Moreno. “Aula 100% através dos dispositivos virtuais é algo totalmente novo. Não temos muitos estudos utilizando essa metodologia mais cedo na vida do indivíduo. Restam muitas dúvidas. Será que esses jovens vão conseguir ter no mesmo tempo de ensino regular a mesma bagagem do pessoal que teve ensino presencial nos anos passados? Fica essa dúvida. Os professores também não sabem o impacto disso no ensino”, percebe.

Moreno nota que, hoje, o professor já tem que disputar a atenção do aluno com as mídias sociais. Para ele, “a pandemia deu uma rasteira total nas instituições de ensino”.

O médico diz que é preciso “voltar para as aulas o quão possível seja, de uma forma segura”. “Não adianta voltar atropelando tudo e termos um segundo pico”, pondera.

Conforme ele, “o ser humano e um ser social é, um ser que precisa de relações”. “Estamos privando as crianças de algo saudável. Estamos deixando elas com menos estímulos, e isso, com certeza, tem um impacto do desenvolvimento cerebral, principalmente nos pequenos”, afirma o psiquiatra.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui