Estudo da Univates que pode contribuir para desenvolvimento de fármacos contra a Covid-19 é publicada em revista internacional

Pesquisa coordenada pela Univates, que mapeia 109 mutações no Sars-CoV-2, é publicada na Scientific Reports Nature


0
Professor Luís Fernando Saraiva Macedo Timmers (Foto: Divulgação)

Uma pesquisa coordenada pela Univates foi publicada na revista científica Scientific Reports, do grupo Nature. O trabalho, que lança luz sobre mutações no vírus SARS-CoV-2, é um esforço na tentativa de identificar mecanismos envolvidos em processos virais que podem contribuir para o desenvolvimento futuro de fármacos para tratar a Covid-19.

O trabalho liderado pelo professor Luis Fernando Timmers analisou 627 sequenciamentos genéticos de amostras do SARS-CoV-2 coletadas no Brasil e identificou 109 mutações no vírus causador da Covid-19. O estudo dá aos pesquisadores condições de avaliar mecanismos de evolução viral, ou seja, quais proteínas estão sofrendo mutações e em quais elas são mais prevalentes.

O estudo é uma visão geral sobre as mutações que aconteceram no Brasil e contribui para a adoção de diferentes abordagens possíveis no campo do desenvolvimento de fármacos para o tratamento da Covid-19.

“O nosso foco foi tentar entender o que está acontecendo com o vírus no Brasil. Aí veio essas 109 mutações”, explica o pesquisador. “Quanto maior as aglomerações e transmissões, quanto mais propiciar ambientes para a propagação, maior a probabilidade de aparecerem mutações no material genético do Sars-CoV-2. Agora, para a gente conseguir classificar uma mutação como uma nova variante, essa mutação tem que dar alguma vantagem ao vírus. Ou seja, ou ele vai conseguir se multiplicar dentro da célula, ou ele vai ter uma maior eficiência na sua transmissão”, detalha Timmers.

Sequência dos estudos

O mundo está numa corrida para tentar encontrar fármacos desde o começo da pandemia, mesmo que a atenção internacional tenha se voltado inicialmente para os imunizantes. Nessas condições, o estudo tem a perspectiva de continuar na prospecção de moléculas que possam ser usadas como inibidores com características antivirais e anti-inflamatórias contra o SARS-CoV-2, utilizando técnicas de biologia molecular e bioinformática.

Os pesquisadores da Univates também estão na busca por uma molécula que, além de antiviral, possa ser anti-inflamatória.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui