Estudo de mestrando da Univates analisa o uso do WhatsApp como ferramenta de mediação do ensino durante a pandemia de covid-19

Dados apontam para experiência positiva em uma turma analisada durante estudo de mestrado


0
Foto: Lucas George Went

A pandemia de covid-19 impôs ao contexto educacional – no Brasil e no mundo – uma transformação de seus processos e um novo modelo de ensino e aprendizagem. Muitos professores se desafiaram em aulas remotas, via aplicativos de mensagens instantâneas, destacando-se o uso do WhatsApp. Por meio desse aplicativo, os professores têm desenvolvido relações de ensino e de aprendizagem, utilizando diversas estratégias, como vídeos, textos multimodais e áudios, que auxiliam nas aulas remotas.

Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação

Com o objetivo de ampliar o conhecimento sobre o uso da ferramenta WhatsApp como mediadora da prática pedagógica e docente durante a pandemia, foi realizada uma pesquisa no Programa de Pós-Graduação em Ensino (PPGEnsino) da Universidade do Vale do Taquari – Univates. A autoria da pesquisa é do mestrando Manoel Maria Silva Negrão e do professor Derli Juliano Neuenfeldt. O estudo, publicado na revista EaD Em Foco, pode ser conferido clicando neste link.

O artigo é um recorte dos resultados coletados para pesquisa do mestrado em Ensino realizada por Negrão. A dissertação encontra-se em fase de finalização e será apresentada ainda neste primeiro semestre de 2022.

O estudo analisou as práticas pedagógicas desenvolvidas em uma turma do 1º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública municipal de Santana, no Amapá, que ocorreram pelo celular, por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp. Os resultados das análises realizadas apontam que o ensino desenvolvido nessa turma, no período de pandemia, por meio do WhatsApp, é promissor em relação às práticas pedagógicas remotas desempenhadas pelo professor, entretanto carece de outros estudos e outras reflexões sobre a temática.

A pesquisa foi realizada em uma escola pública da rede municipal de Santana, no Amapá, com uma professora e sua turma do 1º ano do ensino fundamental, abrangendo 24 alunos. Foi realizada entrevista com a professora e a observação das aulas remotas nos meses de agosto e setembro de 2021.

“Com os dois meses de aulas remotas observadas, desenvolvidas pelo celular, via aplicativo WhatsApp, percebemos que a mediação pedagógica é ponto fundamental para as aulas em ambiente de ensino e aprendizagem. Essa interação e mediação pedagógica, tanto das aulas presenciais quanto remotas, tem o potencial, se for bem conduzida, de construir relações de aprendizagem duradouras e colaborativas, em prol de uma educação para autonomia e protagonismo infanto-juvenil”, descreve o pesquisador Manoel Maria Silva Negrão.

Os dados indicam que a implementação do WhatsApp como recurso para o ensino foi positiva no caso da turma acompanhada. “Fazendo sua adequação para o contexto escolar, reforçamos a eficiência do aplicativo – o que nos leva a pensar sua utilização como ferramenta pedagógica no 1º Ano do Ensino Fundamental, com capacidade para promover o desenvolvimento de inovadoras estratégias de ensino, como o uso de imagens, áudios e vídeos, possibilitando a expansão da sala de aula física para o ambiente digital”, complementa o mestrando.

“Nosso estudo também apontou que, quando se trata de utilização de tecnologias digitais na educação, garantir a equidade de acesso aos recursos e garantir os direitos de aprendizagem dos estudantes têm que ser fatores fundamentais para possibilitar a continuidade do processo de ensino e de aprendizagem”. AI/VM

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui