EUA removem uma das maiores estátuas confederadas em meio a debates sobre racismo

Governo lutava há um ano na Justiça para retirar monumento ao general Robert E. Lee da Virgínia


0
Estátua de Robert E. Lee sendo removida (Foto: Evelyn Hockstein / Reuters)

Uma estátua do general Robert E. Lee, que defendeu os confederados na Guerra Civil americana (1861-1865), foi removida nesta quarta-feira (8) de Richmond, na Virgína, após uma batalha legal que durou um ano. Trata-se de uma das maiores estátuas ainda de pé em homenagem aos confederados, com 6,4 metros de altura e sobre um pedestal de 12,2 metros de granito, que fica na antiga capital de Richmond. A figura, de bronze, foi instalada em 1890 e retrata Lee em trajes militares em cima de seu cavalo.

Os confederados, derrotados pelas tropas da União na Guerra Civil, defendiam a manutenção escravidão no país e, por isso, monumentos e bandeiras ligadas ao grupo são alvos de protesto contra o racismo. Nos últimos seis anos, foram retirados mais de 300 símbolos dos confederados e de supremacistas brancos, enquanto cerca de 2.000 ainda estão de pé, de acordo com o Southern Poverty Law Center. Uma estátua do próprio Robert Lee foi removida de Charlotesville, também na Virgínia, em julho deste ano.

A obra removida de Richmond será guardada em um local seguro até que haja uma decisão sobre seu futuro, explica o governo do Estado. A base de granito, porém, permanecerá no local, e apenas a placa que identifica o homenageado será retirada.

Há mais de um ano, em junho de 2020, o governador democrata da Virgínia Ralph Northam anunciou planos para remover a estátua, 10 dias depois que um policial branco de Minneapolis matou George Floyd, que era negro, gerando uma onda de protestos em todo o país. Na quinta-feira da última semana (2), a Suprema Corte da Virgínia decidiu por unanimidade em dois casos que o governador poderia remover a estátua. A remoção foi contestada, porém, por parte dos moradores e por um descendente da família que transferiu a posse da estátua para o estado.

Fonte: Reuters

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui