Expectativa de vida dos gaúchos aumenta e chega a 77,26 anos

As mulheres seguem com expectativa de viver, em média, sete anos a mais do que os homens


0
Foto: Pixels

A expectativa média de vida ao nascer no Rio Grande do Sul passou de 75,59 para 77,26 anos na comparação entre os períodos de 2010-2012 e 2017-2019 – um aumento de 1,67 ano. As mulheres seguem com expectativa de viver, em média, sete anos a mais do que os homens, porém, no último triênio, encontra-se o menor diferencial entre os sexos no período, de 7,28 anos, com estimativa de 80,88 anos para as mulheres e 73,60 para os homens.

Os dados, divulgados nesta sexta-feira (20), integram um estudo produzido pelo Departamento de Economia e Estatística, vinculado à Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão, intitulado “A evolução das causas de mortalidade perante a dinâmica demográfica do RS de 2010 a 2019: novas estimativas para a expectativa de vida”.

De acordo com a pesquisa, feita com dados anteriores à pandemia de coronavírus, doenças do aparelho circulatório foram responsáveis por um quarto dos óbitos no Estado (25,1%) em 2019, tendo apresentado tendência de queda no período analisado. Por outro lado, destaca-se o aumento da incidência de neoplasias, segunda causa de morte entre a população (22,3%).

Em terceiro lugar, os óbitos por doenças respiratórias (12%) também apresentaram um aumento no período, porém, em menor magnitude. Em quarto lugar, estão os óbitos por causas externas (8,5%), sendo sua incidência mais de três vezes superior entre a população masculina, quando comparada com a feminina.

Além das diferenças em relação a homens e mulheres, existem questões regionais que impactam e, neste caso, a assimetria de expectativa de vida para quem nasce em diferentes pontos do Estado agravou-se: o diferencial entre o menor e o maior valor de expectativa de vida dos Coredes passou de 3,96 anos em 2010-2012 para 5,55 em 2017-2019. Ou seja, quem nasce na região Norte do Estado pode contar com mais de cinco anos de expectativa de vida ao nascer em relação àqueles que residem na Sul, por exemplo.

Fonte: O Sul

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui