Expectativa é tornar os passeios do Trem dos Vales permanentes antes de 2023, diz coordenador

A terceira temporada do passeio teve a participação de mais de 31 mil turistas. Destes, 80% eram de fora do Vale do Taquari. Retorno para a região bate os R$ 6 milhões


0
Juremir Versetti / Chinelagem Press / Amturvales / Reprodução

A terceira temporada do passeio turístico Trem dos Vales encerrou no domingo (9), após 52 viagens. Mais de 31 mil turistas fizeram o roteiro pela Ferrovia do Trigo. É um salto significativo em relação às duas etapas passadas. Em 2019 foram 5 mil passageiros, e em 2020, 8 mil. Conforme o coordenador do projeto, Rafael Fontana, 80% dos bilhetes vendidos foram para pessoas de fora da região do Vale do Taquari.

“Também tivemos visitantes de mais de 14 estados da federação. E nós tivemos pessoas de 10 países diferentes, que estavam visitando o Brasil, o Rio Grande do Sul, e se encantaram pelo passeio”, ressaltou ele, em entrevista ao Troca de Ideias desta terça-feira (11).

O Trem dos Vales movimentou restaurantes, pousadas, parques, agroindústrias familiares e o setor de transportes. Conforme Fontana, os visitantes puderam conhecer os atrativos no turno inverso ao trajeto de trem.

Além dos municípios diretamente envolvidos, os passeios tiveram repercussão em 15 cidades do Vale do Taquari, promovendo integração regional ao redor do turismo. A organização do trajeto estima que foram movimentados R$ 6 milhões na economia local, com ticket médio em R$ 250 investido por visitante.

No entendimento de Rafael Fontana, o passeio é um ativo turístico que vem se consolidando a cada ano, ganhando em importância e relevância. “As pessoas que fazem se encantam com as belezas naturais e com a arquitetura daqueles locais”, afirma.

Para ele, a repercussão e o aprendizado a cada ano inspiram a qualificar cada vez mais o projeto para bem acolher o turista. A direção do Trem dos Vales busca tornar o roteiro permanente, ampliando os passeios para Estrela e Colinas, Roca Sales e Muçum.

Conforme Fontana, há tratativas em andamento, e o pedido já foi formalizado com a empresa Rumo Logística. Para a confirmação, serão analisadas questões que envolvem segurança, manutenção, logística, além de aspectos de regulação e jurídico.

“Temos uma expectativa que a gente consiga ter um passeio permanente antes de 2023. Vamos ver. Não dá para garantir nada porque não depende da gente, mas vamos trabalhar forte nesse sentido”, garante o coordenador. “Estamos colocando como uma estratégia nossa, de garantir que esse passeio se consolide ainda neste ano. Vamos ver”, explica. “As três temporadas que tiveram mostra que é um passeio viável e atrativo”, acredita.

Na ampliação, a ideia seria contemplar desde Estrela até Guaporé, em passeios e datas diferentes. Porém, segundo Fontana, somente depois de aprovado serão definidos os períodos, trajetos e conceitos. Também estão previstas melhorias em vagões já utilizados e a colocação de mais vagões nos trilhos da Ferrovia do Trigo.

Neste ano os passageiros já puderam contar com um atendimento mais qualificado em gastronomia. Uma empresa terceirizada foi contratada para servir aos visitantes.

Textos: Tiago Silva
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui