Falta de água e energia afeta trato dos animais e descongela alimentos no interior de Estrela e Teutônia

Moradores de Linha Wolf temem perder grandes quantidades de carne e leite por falta de armazenamento. Localidade está há mais de 60 horas sem energia elétrica


1
Zilmar Hollmann armazena cerca de 200kg de carne e uma parte já estava descongelada na manhã desta terça-feira (8) (Foto: Gabriela Hautrive)

A falta de energia elétrica em municípios do Vale do Taquari, principalmente em localidades do interior, segue afetado moradores e causando prejuízos nesta terça-feira (8). Em Linha Wolf, que faz divisa com Teutônia e Estrela, produtores estão há mais de 60 horas sem energia, desde o último sábado (5) quando um forte temporal atingiu a região.  A situação também afeta o desabastecimento de água, impactando no trato dos animais e descongelando alimentos que estão armazenados em freezers, além da conservação de leite.


Ouça a reportagem

 


 

Conforme o morador Zilmar Hollmann (69), problemas com falta de energia são recorrentes na localidade, mas não com tantas horas como desta vez. “É até difícil de falar, nunca ficamos sem luz, falta tudo”, relata. Além da dificuldade com água para banho, fazer comida e suprir outras necessidades básicas, há problemas para tratar os animais e armazenar leite. “A gente se vira, mas é difícil, sem energia não fizemos nada, pica pasto, nada, tudo é mais difícil e cada vez fica pior”. A mesma situação é vivenciada por outro morador de Linha Wolf, Sergio Favareto (63). “Não tem água, não podemos tomar banho, não tem como tratar os animais, é um descaso com os clientes da RGE”, relata.

Produtor Sérgio Favareto falou sobre descaso da RGE com clientes (Foto: Gabriela Hautrive)

Na propriedade de um outro produtor, Marco Hilgemann (42), se não fosse o gerador, a família estaria perdendo cerca de 800 litros de leite por dia. Outro problema, informado por Favareto, é ter que colocar mais de 100 kg de carne fora. “Se em poucas horas não vier a energia essa carne vai ser colocada fora, são carnes de rês, porco e frango que temos costume de guardar no interior”, explica. O mesmo acontece com a família de Hollmann que armazena cerca de 200kg de carne e uma parte já estava descongelada na manhã desta terça-feira (8). “A carne não sei como vai ser, se não vier hoje vamos ter que levar para outro lugar”, completa.


Ouça relato de outro morador

 


Conforme a RGE, até a tarde de segunda-feira (7) todos os problemas seriam resolvidos, sendo que até por volta das 16h cerca de 3,5 mil clientes ainda estavam sem energia na região, porém, as demandas continuam. A reportagem fez novos contatos com a concessionária nesta terça-feira (8), e obteve como resposta que a empresa “segue atendendo as ocorrências do temporal do fim de semana na região dos Vales do Rio Pardo e do Taquari”, não sabendo informar o número de clientes que permanecem sem o abastecimento de energia, apenas dizendo que “no momento não há mais volume de clientes sem energia elétrica. Os atendimentos são individuais ou em pontos isolados”.

A assessoria de imprensa ainda reforçou os meios utilizados para atendimento: Se o problema for falta de energia, envie um SMS com o SEU CODIGO (que consta na conta de energia elétrica) para o número 27350. Site: www.rge-rs.com.br App: CPFL Energia (disponível para Android e iOS com navegação gratuita) e Call Center: 0800 970 0900.

Se energia não voltar nas próximas horas alimentos irão estragar (Foto: Gabriela Hautrive)

Problemas seguem em outras localidades

Em Estrela, na localidade de Novo Paraíso, moradores falaram sobre os prejuízos causados por falta de energia. Um poste de madeira teve uma queda e acabou ficando suspenso e atravessado na via. Na manhã desta terça-feira(8), veículos leves conseguiam passar por baixo da estrutura, mas caminhões não conseguiam chegar até as residências que ultrapassam o poste.

Em Cruzeiro do Sul, também nesta terça, agricultores estavam há 58 horas sem energia elétrica, com registro de postes que seguiam caídos em Linha Sítio. No local uma família possui 21 vacas que produzem 350 litros de leite por dia, sendo que para manter o alimento resfriado e fazer a ordenha, a energia elétrica é fundamental.

Texto: Gabriela Hautrive
reportagem@independente.com.br

1 comentário

  1. Advogados ? Cadê vocês. Vamos tirar esse prejuízo . Não são casos isolados. Linha Wolf e Geralda e arredores temos mais de 1000 pessoas sem luz. A 3 dias . E nada. Vergonhoso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui