Falta de EPIs e materiais de higiene deve atrasar retorno das aulas nas escolas estaduais do Vale do Taquari

Não haverá testagem em massa na rede estadual. “O estado não tem condições para isso”, admite coordenara da 3ª CRE. Onze municípios do Vale editaram decretos proibindo aulas presenciais.


0
Coordenadora de Educação, Cássia Benini (Foto: Arquivo / Rádio Independente)

As escolas estaduais estão programadas para retornarem às aulas a partir da próxima terça-feira (20), começando pelos ensinos Médio e Técnico. Porém, no Vale do Taquari, a volta deve ser postergada devido à falta de equipamentos de proteção individual (EPIs) e materiais de higiene. A entrega é aguarda para ocorrer ao longo da próxima semana, sem data definida. A informação é da coordenadora da 3ª Coordenadoria Regional de Educação (3ª CRE), Cássia Benini. “São 30 mil entregas. É um volume muito grande. Por conta disso está demorando”, explica. “Se alguns desses itens não tiver contemplado, a escola não vai poder iniciar”, afirma a coordenadora. “Só vai iniciar no momento que viver segurança.”

A 3ª CRE abrange 32 municípios do Vale do Taquari e 86 escolas estaduais, entre os ensinos Fundamental e Médio. Como as aulas na rede estadual retornam pelo Ensino Médio, dos 20 mil alunos na região no total, cerca de 6 mil estão aptos para terem aulas presenciais, em 42 escolas.

Porém, em 11 municípios do Vale, os prefeitos editaram decretos bloqueando as aulas presenciais neste ano. “As escolas vão permanecer abertas, em regime de plantão, para os alunos retirarem as atividades ou utilizarem os computadores, se tiverem necessidade”, explica Cássia, nestes casos.

Não haverá testagem em massa

A gestora da 3ª CRE diz que não haverá testagem em massa na rede estadual. “Quanto à testagem na rede estadual, isso é uma questão que não vai ser feita. O estado não tem condições para isso”, admite.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui