Família de Arroio do Meio realiza campanha para custear equipamento de criança que sofre com esclerose, epilepsia e autismo

Carrinho indicado para os cuidados de Miguel Dhein (6) está avaliado em R$ 22 mil


0
Miguel, com a mãe e a avó (Foto: Artur Dullius)

Quando tinha cerca de um ano e meio de idade, Miguel Vicente Dhein (6) foi diagnosticado com esclerose tuberosa, epilepsia de difícil controle e autismo. Desde então, realiza quimioterapia por meio de medicações diárias e necessita de cuidados especiais. Recentemente, ele também permaneceu uma semana internado e precisou colocar sonda por estar desnutrido.


OUÇA A REPORTAGEM 


Conforme explica a mãe, Samara Dhein, a doença é degenerativa e Miguel está recebendo cuidados paliativos. Com a evolução do quadro da esclerose, a criança também tem convivido com fortes dores na cabeça. “Ela atinge todos os órgãos do corpo. É uma doença neurológica degenerativa que libera tumores por todos os órgãos vitais do corpo e atingiu direto o cérebro do Miguel. Agora ele já tem lesões em outros órgãos também”, explica.

Cadeira Kimba Neo 2 está avaliada em aproximadamente R$ 22 mil (Foto: Reprodução)

Há cerca de dois anos e meio a mãe luta na justiça para tentar comprar uma cadeira postural que acompanha o crescimento da criança. No entanto, o equipamento Kimba Neo 2 está avaliado em aproximadamente R$ 22 mil. “A necessidade do Miguel tem aumentado todos os dias e a gente não está conseguindo suprir ela, pois os gastos estão sendo exorbitantes e cada vez o diagnóstico se agrava mais. Pedimos a ajuda na compra deste aparelho para que ele possa ter o mínimo de conforto. Ele já está bem machucado nas pernas em razão dos espasmos”, relata Samara.

 

Atualmente, o governo estadual arca com o valor da medicação para a quimioterapia. No entanto, a família ainda possui gastos elevados com a alimentação, medicação, luz e a aparelhagem utilizada diariamente. “Tem sido muito difícil, pois é um caminho muito incerto. A gente não sabe como vai ser o amanhã do Miguel. Não sabemos se ele terá um mês, dois meses, um ano ou dois anos de vida. Quando tivemos o diagnóstico o médico foi bem claro e disse que não saberíamos como a doença iria avançar. Ela tem se complicado e cada vez nos vemos mais apertados para saber como lidar. É uma doença rara e que praticamente ninguém conhece”, afirma.

Samara criou uma campanha na internet, por meio do site Vakinha On-line (vaka.me/2568774), buscando arrecadar fundos para comprar a cadeira recomendada e auxiliar nas despesas diárias. “Infelizmente, com o salário mínimo que recebo do governo e todas as necessidades que tenho de comprar as coisas pra ele a gente não tem como. Eu faria tudo pra dar isso ao Miguel, mas não tenho como. Seu eu pudesse eu trocaria de lugar com ele. Mas infelizmente não tenho como dar o carrinho se não for desta maneira, por meio da campanha”, conclui.

Interessado também podem ajudar por meio do PIX 01969057025, da conta bancária do Banrisul 3917971305, Agência 0906, ou então entrar em contato diretamente com a mãe do Miguel pelo (51) 9 9927-8645.

Texto: Artur Dullius
reporter@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui