Família do interior de Travesseiro perde tudo em incêndio e pede doações

Na noite desta segunda, o Corpo de Bombeiros de Lajeado foi acionado e se dirigiu até a localidade de Linha Cairú, onde as chamas consumiam a residência de um casal de 64 e 58 anos e seus filhos, de 13, 5 e 4 anos


0
O casal de 64 e 58 anos e o filho mais velho, de 13 anos (Foto: Caroline Silva)

Recomeçar. Essa é a palavra que permeia a partir de agora os dias da família Haas, do interior de Travesseiro. O casal Francisco Haas e Maria de Lourdes Pires Haas e os três filhos, um menino de 13 anos, e duas meninas de 6 e 4 anos, viram perder tudo o que tinham em um incêndio que atingiu sua residência, no começo da noite desta segunda-feira (22).

Seu Francisco, que é pedreiro, conta que chegou do trabalho e estava com a família no pátio quando perceberam o inicio das chamas. “A gente tem o costume de sentar na varanda e tomar chimarrão. As meninas pequenas estavam brincando, e vi um brilho fora do normal, quando me virei já vi o fogo. Logo a fumaça tomou conta e só saímos de perto porque o fogo foi muito intenso”, lembra.


ouça a reportagem

 


Dona Maria de Lourdes diz que só pensou em proteger os filhos. “No momento só pensei em tirar os filhos perto da casa, não fiquei abalada, me mantive calma para cuidar deles”, comenta. As chamas destruíram toda a moradia mista com cerca de 100 metros quadrados.

Ninguém ficou ferido. As causas do sinistro ainda são desconhecidas pelo Corpo de Bombeiros de Lajeado, que atendeu a ocorrência, mas seu Francisco suspeita que uma sobrecarga na rede elétrica tenha ocasionado o sinistro.

Seu Francisco lamenta ter perdido toda a documentação da família. “A gente fica paralisado, sem atitude, porque apagar o fogo não consegue e salvar as coisas também não. Sinto muito pela documentação porque sempre é uma burocracia para conseguir de novo”, desabafa.

Agora a família necessita de doações para recomeçar. A dona de casa de 58 anos diz que precisam de tudo, mas principalmente de fraldas para as filhas pequenas e móveis. “Nossa prioridade é como cama, cobertas, toalhas, fraldas, fogão, batedeira, liquidificador e geladeira”, conta.

O filho mais velho do casal, de 13 anos, está visivelmente abalado com a situação. Os pais contam que ele é estudioso e lamenta ter perdido seu computador, celular, violão e livros.

Como ajudar:

  • Interessados em ajudar a família podem entrar em conta pelo fone (51) 9 9724-7032.

Texto: Caroline Silva
jornalismo@independente.com.br


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui