Família tem papel fundamental para identificar sintomas da ideação suicida

Até agosto, em Lajeado, foram registrados 10 suicídios, oito a menos que em 2019 no mesmo período.


0

A coordenadora do Centro de Atenção Psicossocial (Caps) Adulto de Lajeado, enfermeira Tatiane Marques de Castro, ressaltou o papel da família para identificar os primeiros sinais de transtornos psicológicos que, no limite, podem suscitar na ideação suicida. “A família é muito importante para nós no tratamento e na condução dos atendimentos”, destaca.


ouça a entrevista

 


“A família tem um papel importante porque, às vezes, é o primeiro acesso que a aquele individuo que não está bem vai ter, e ele precisa ser ouvido, ter uma escuta. O paciente, o indivíduo que não está se sentindo bem e pensa em suicídio, sim, é real: ele quer tirar aquele sofrimento, acabar com aquele sofrimento, e ele não encontrou ainda nenhuma outra saída”, explica.

“Os transtornos mentais são como outras doenças”, destaca. “A gente precisa tratar o transtorno mental”, afirma ela, sobre o tabu que é abordado durante o mês de setembro, na campanha Setembro Amarelo.

Até agosto, em Lajeado, foram registrados 10 suicídios, oito a menos que em 2019, no mesmo período. Foram 118 internações hospitalares nos centros de atendimento psicossociais, 36 delas por ideação ou tentativa de suicídios. Os sintomas mais comuns são tristeza excessiva, desânimo, falta de prazer com a vida, isolamento social e irritabilidade.

Em Lajeado são três Caps: o infantojuvenil, o álcool e drogas e o Adulto, que trata transtornos mentais graves e persistentes. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, sem fechar ao meio-dia. O centro conta com uma equipe multiprofissional especializada.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui