Familiares de teutoniense diagnosticada com câncer e Covid-19 fazem campanhas para custear tratamento

Lisâni Lindemann Birkheuer (49) está na UTI e já passou por duas cirurgias na cabeça. Sua situação foi agravada pelo coronavírus. Mais de R$ 150 mil já foram gastos


0
Lisâni e o esposo, Eluir Felipe Birkheuer, no hospital em Caxias do Sul (Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação)

Enquanto Lisâni Lindemann Birkheuer, de 49 anos, internada na UTI particular do Hospital Saúde de Caxias do Sul, luta para continuar vivendo, a sua família, que reside em Teutônia, do lado de fora se mobiliza para arrecadar valores e conseguir custear o tratamento. Em março deste ano, após ter dores de cabeça com frequência, Lisâni procurou atendimento médio e descobriu que estava com câncer, um tumor na parte frontal da cabeça e com a situação agravada, precisando fazer uma cirurgia de emergência. Desde então, já passou por dois procedimentos e recentemente voltou para UTI, tendo um novo agravamento após contrair Covid-19 no hospital.


ouça a reportagem

 


 

Lisâni estava com sintomas de Hipertensão Intracraniana e já tinham consultado pelo SUS, onde os médicos avisaram que a cirurgia levaria cerca de três meses para acontecer. A família procurou atendimento particular e, inicialmente, o processo cirúrgico custaria R$ 45 mil. Porém, devido a outras complicações, a conta aumentou e já precisaram desembolsar mais de R$ 150 mil. Por conta da situação, pedem ajuda para continuar bancando a permanência de Lisâni na casa hospitalar, como relata sua filha, Caroline Vitória Birkheuer, de 22 anos. “Está uma situação muito difícil para nossa família, pelas questões da recuperação, as várias complicações e a parte financeira, não está sendo nada fácil para nós.”

Lisâni e sua família, antes de passar pelos problemas de saúde (Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação)

Segundo Caroline, o estado chegou a ser tão delicado, que sua mãe passou a ter risco de morte informado pelos médicos. “A gente precisou manter ela no hospital, ela nem voltou para Teutônia, se não poderíamos aguardar para pegar um leito SUS, mas estava muito grave, não tinha como esperar”, explica. Após o primeiro processo cirúrgico, a paciente precisou fazer uma nova cirurgia e ainda contraiu coronavírus enquanto permanecia no hospital. “Ela teve uma complicação, um edema cerebral e teve que fazer outra cirurgia. Abriram de novo o cérebro dela para ele voltar a funcionar normalmente. O médico disse que se demorasse mais tempo ela viria a óbito”, relata a filha.

Lisâni Lindemann Birkheuer, de 49 anos, moradora de Teutônia (Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação)

Além do medo em perder a mãe, Caroline conta que a família precisava pensar em formas de manter os atendimentos. Foram 17 dias de internação na UTI e cada um deles custava cerca de R$ 5 mil, sem contabilizar os valores da cirurgia. “A partir disso nossa conta duplicou, foi para R$ 100 mil e os dias da UTI não estavam contatos, não sabíamos quanto tempo ela precisava para se recuperar.”

Agora, retornando para Unidade de Terapia Intensiva, a contagem do valor segue, e para isso a família se desfez de alguns bens e promove ações para arrecadar dinheiro. “Meu pai trocou o caminhão dele, próprio em que fazia entregas para todo o Brasil e pegou um menor para receber um valor de volta, só que não foi suficiente, então criei uma vakinha online e arrecadação por Pix.”

Ainda foi promovida uma rifa, o que também contribuiu bastante com a campanha. “Nos primeiros dias foi muito boa a arrecadação, mas depois foi diminuindo e nossa alternativa foi fazer uma rifa solidária”, conta.

Além de Caroline, a família de Lisâni é composta pela filha mais nova, de 15 anos, e seu esposo, Eluir Felipe Birkheuer. Através das redes sociais, também são feitos pedidos de ajuda e repassadas informações sobre a situação, contanto com ajuda de outros familiares, amigos e comunidade local.

Uma das opções de ajuda é pela Rifa Solidária (Foto: Divulgação)

Como ajudar

Quem deseja ajudar Lisâni e sua família pode entrar em contato com Caroline Birkheuer através do número (51) 9 9648-8349. Envio de dinheiro por Pix devem ser feito através da chave, que o CPF de Caroline: 025.022.550-66. Para quem optar por depósito bancário, a conta corrente é 00084-4, agência 0119 (Cooperativa Sicredi).

Outra forma é comprando a Rifa Solidária, ao custo de R$ 5, com opção de venda online, basta entrar em contato com o número informado. Há também uma campanha disponível no site Vakinha Online, chamada de “Juntos com Lisâni”.

Texto: Gabriela Hautrive
reportagem@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui